Randolfe quer investigação contra Bolsonaro por divulgar inquérito sigiloso

Polícia Federal abriu inquérito contra a CPI da Covid-19 por vazamento de documentos sigilosos. Parlamentar cobrou mesmo tratamento da PF

atualizado 05/08/2021 13:54

Vice-presidente da CPI da Covid, Randolfe RodriguesHugo Barreto/Metrópoles

O vice-presidente da CPI da Covid-19, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), cobrou, nesta quinta-feira (5/8), do ministro da Justiça, Anderson Torres, e do diretor-geral da Polícia Federal, Paulo Maiurino, abertura de investigação contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) por divulgação de inquérito sigiloso.

“Ontem, o presidente da República divulgou nas suas redes sociais um inquérito sigiloso, no qual consta o carimbo de sigilo. Aproveito para perguntar ao senhor Anderson torres, que é o senhor ministro de Estado da Justiça, e ao diretor-geral da Polícia Federal a que horas será anunciada a abertura do inquérito contra o senhor presidente da República?”, questionou Randolfe.

“Espero que anunciem ainda no dia de hoje o inquérito contra o presidente da República por divulgação, com todas as suas digitais, de um inquérito sigiloso”, acrescentou.

O documento apresentado pelo presidente Jair Bolsonaro divulgou inquérito em andamento na PF sobre suposta invasão ao sistema eleitoral brasileiro.

O parlamentar destacou que a Polícia Federal determinou a abertura de inquérito para apurar o vazamento de depoimentos sigilosos enviados pela PF à CPI da Covid-19. O anúncio da PF ocorreu nessa quarta-feira (4/8).

A direção da CPI vai acionar a Advocacia do Senado para entrar com habeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF) trancando o inquérito. Ademais, os senadores vão apresentar uma notícia crime contra o ministro da Justiça, Anderson Torres, e o diretor-geral da PF, Paulo Maiurino, por tentativa de intimidação dos trabalhos da comissão.

Últimas notícias