Presidente da CPI critica fala de Bolsonaro sobre “guerra química”

Mais cedo, Bolsonaro insinuou que a China teria criado o novo coronavírus deliberadamente em laboratório

atualizado 05/05/2021 16:53

Senador Omar Aziz. CPI da Covid. CPI da PandemiaRafaela Felicciano/Metrópoles

O presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), criticou, nesta quarta-feira (5/5), a declaração do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre a China supostamente ter “criado” o novo coronavírus, como forma de desencadear uma “guerra química”.

Aziz lembrou que o país é dependente da China para aquisição de ingrediente farmacêutico ativo (IFA), insumo utilizado no desenvolvimento das vacinas que hoje imunizam a população brasileira. “Hoje foi muito ruim, viu, Fernando. Ele [Bolsonaro] fala em guerra química”, disse, dirigindo-se ao senador Fernando Bezerra (MDB-PE), que é o líder do governo no Senado.

“Não é momento da gente cutucar ninguém, nem aqui entre nós. Nós estamos na mão dos chineses para trazer o IFA, a gente depende da China para alguns insumos”, completou o presidente da CPI.

Mais cedo, Bolsonaro insinuou a criação do vírus em laboratório. A afirmação contraria a informação fornecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS). A entidade frisa que o novo coronavírus provavelmente teve origem animal. O Sars-Cov-2 foi detectado inicialmente no país asiático.

“Qual o país que mais cresceu seu PIB? Não vou dizer para vocês”, insinuou Bolsonaro. Apesar de o presidente não ter citado nomes, a China foi o único país a crescer durante 2020, com um aumento de 2,3% no Produto Interno Bruto (PIB).

0
Relação conturbada

Desde o início da pandemia, Bolsonaro insiste que a China é responsável pela proliferação do coronavírus. O discurso foi o mesmo adotado pelo ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump. Vale ressaltar que a China continua sendo o maior parceiro comercial do Brasil.

Um dos exemplos das investidas do presidente contra o país asiático foi a comemoração da suspensão dos testes da vacina do laboratório chinês Sinovac, após o registro de um “evento adverso” com um voluntário. “Mais uma que Jair Bolsonaro ganha”, escreveu o chefe do Executivo federal no Twitter.

Últimas notícias