“Por mim, botaria 60”, diz Bolsonaro sobre o limite de pontos na CNH

Nesta semana, o presidente foi pessoalmente ao Congresso Nacional entregar o projeto de lei que altera as regras da carteira de motorista

atualizado 05/06/2019 14:55

RAFAELA FELICCIANO/METRÓPOLES

Durante passagem pelo Estado de Goiás, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) admitiu que a vontade dele era de alterar para 60 pontos o limite para o motorista perder a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). “Porque, afinal de contas, a indústria da multa vai deixar de existir no Brasil, como em Goiás”, afirmou.

“Apresentamos um projeto para fazer com que a carteira nacional de habilitação passe sua validade de cinco para 10 anos. Que o caminhoneiro que transporta o que o Centro-Oeste produz não perca sua carteira com 20 pontos e sim com 40 pontos”, comentou o presidente.

Sobre o fim dos pardais móveis e fixos, Bolsonaro adiantou que acertou com o ministro da Economia, Paulo Guedes, a contratação de 100 servidores da Polícia Rodoviária Federal para fiscalização do trânsito. “A ideia é para ajudar o trânsito nos estados. Mas a multagem eletrônica vai deixar de existir para o bem dos motoristas e do nosso Brasil”, completou.

Nesta semana, o presidente foi pessoalmente ao Congresso Nacional entregar o projeto de lei que altera as regras da CNH. Especialistas veem com preocupação as mudanças e acreditam que pode haver um aumento no número de acidentes.

Últimas notícias