Podemos rebate Bolsonaro sobre cheque especial: “Estelionato”

O partido é autor de uma ação apresentada ao STF que pede a inconstitucionalidade da cobrança sobre o limite oferecido pelos bancos

Câmara dos Deputados/ reprodução

atualizado 11/01/2020 20:03

O Podemos rebateu as críticas do presidente Jair Bolsonaro sobre as taxas do cheque especial e voltou a dizer que é contra a mudança na tarifa, neste sábado (11/01/2020). Em nota, a legenda disse que o chefe do Executivo “passaria melhor para a história” se fosse contrário à medida. Para o partido, Bolsonaro comete “estelionato retórico” ao defender a cobrança como forma de reduzir os juros.

“Veja como a conversa de tarifa para reduzir juros é um ESTELIONATO RETÓRICO. Os 8% mensais foram utilizados para não mencionar que continuam a ASTRONÔMICOS 151% AO ANO, considerando juros compostos”, defendeu a legenda.

O partido é autor de Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) apresentada ao Supremo Tribunal Federal (STF) com o objetivo de derrubar a alteração nas taxas do cheque especial previstas em uma resolução do Banco Central que passou a vigorar no início deste ano.

Ao criticar o partido pelas redes sociais na manhã deste sábado (11/01/2020), Bolsonaro insinuou que a sigla representa o interesse dos bancos.

Em resposta ao presidente, a nota responde: “Fica a dica: O PODEMOS, partido que mais votou a favor dos projetos enviados pelo governo ao Congresso, possui independência para se posicionar apenas a favor das questões que são em BENEFÍCIO DO BRASIL E DOS BRASILEIROS. Esta é a razão da nossa Adin”.

Confira a íntegra da nota do Podemos:

Exmo. Sr. Presidente Jair Messias Bolsonaro, ao Podemos interessa TODOS OS BRASILEIROS.

– O PODEMOS tem posição: É CONTRA A COBRANÇA DE TARIFA no cheque especial para todos os brasileiros, independente da sua utilização ou não, como compensação do governo aos bancos, para garantir os ainda elevadíssimos JUROS DE 8% AO MÊS diante da TAXA SELIC DE 4,5% AO ANO no Brasil.

– Veja como a conversa de tarifa para reduzir juros é um ESTELIONATO RETÓRICO. Os 8% mensais foram utilizados para não mencionar que continuam a ASTRONÔMICOS 151% AO ANO, considerando juros compostos.

– Em Portugal e Espanha, os juros do cheque especial não ultrapassam 20% ao ano faz mais de década. Logo, para manter os juros a 151% ao ano, não precisa de nova tarifa. É POLÍTICA DE BANQUEIRO para banqueiros do governo.

– O LUCRO DOS BANCOS em 2019, primeiro ano do governo Bolsonaro, deverá ser RECORDE no Brasil – sem a necessidade de amparo governamental.

– Nos dados divulgados até agora, o lucro acumulado de Bradesco, Itaú Unibanco, Santander e Banco do Brasil foi de R$ 59,7 bilhões nos três primeiros trimestres de 2019, o MAIOR DA HISTÓRIA desde 2006, de acordo com a série histórica.

– Aliás, o ganho já divulgado de julho a setembro de 2019 foi o maior lucro trimestral desses bancos, perdendo apenas para os ganhos apurados nos outros dois trimestres anteriores deste mesmo ano!

– Historicamente, o SPREAD BANCÁRIO brasileiro – diferença que os bancos pagam para captar dinheiro e o que eles cobram para emprestá-lo – alterna a liderança no ranking mundial. Em 2018, foi o segundo maior do mundo, atrás apenas de Madagascar e à frente do terceiro colocado, a República Democrática do Congo, por uma margem considerável.

– Respondendo, novamente, à pergunta do Exmo. Sr. Presidente: A ação do PODEMOS no STF interessa toda população brasileira, que NÃO ACEITA NOVAS TAXAS bancárias.

– Não temos dúvidas que o abatimento dos juros exorbitantes cobrados ilegalmente pelos bancos, em forma de juros sobre juros, e a proibição desta prática de maneira efetiva deveria ser o trabalho do governo pelo INTERESSE DOS POBRES.

– Se assim o fizesse, Sr. Presidente, com certeza, seu nome passaria melhor para a história como aquele que cuida do “BOLSO” dos que mais precisam.

– Por fim, devolvemos a pergunta: A quem interessa a ação do Banco Central do governo Bolsonaro de criar a tarifa do cheque especial? Aos pobres ou aos banqueiros?

– Fica a dica: O PODEMOS, partido que mais votou a favor dos projetos enviados pelo governo ao Congresso, possui independência para se posicionar apenas a favor das questões que são em BENEFÍCIO DO BRASIL E DOS BRASILEIROS. Esta é a razão da nossa Adin.

Últimas notícias