Novo procurador-geral evita comentar rumo da Operação Lava Jato

Augusto Aras tomou posse nesta quinta-feira (26/09/2019), em cerimônia no Palácio do Planalto, com a presença do presidente Jair Bolsonaro

Andre Borges/Esp. Metrópoles

atualizado 26/09/2019 12:54

O novo procurador-geral da República, Augusto Aras, evitou comentar o tratamento que dará à força-tarefa da Lava Jato durante a gestão à frente do Ministério Público Federal (MPF). Ao ser questionado sobre o assunto, após a cerimônia de posse, na manhã desta quinta-feira (26/09/2019), Aras afirmou que ainda pretende se inteirar de forma mais profunda sobre esse e outros assuntos antes de entrar nas questões de mérito.

“Me permitam não responder agora a esses temas porque nós teremos ainda alguns dias para nos inteirarmos dos fatos em extensão e profundidade”, justificou. O novo PGR acredita que até o dia 2 de outubro, quando ocorrerá a transmissão de cargo na PGR, estará apto a falar sobre o assunto.

Aras disse ainda que até a noite de sábado (28/09/2019) se concentrará em montar a equipe que o auxiliará nos trabalhos de gestão do MPF. “A partir de hoje [quinta-feira] começo a reorganizar os trabalhos administrativos. Estarei reunido até o fim da tarde de sábado com os colegas para podermos pensar a estrutura da Procuradoria-Geral da República porque nós queremos um Ministério Público Federal honesto”, apontou.

O novo PGR não assumirá a função de representante do MP nas sessões do Supremo Tribunal Federal (STF) até a transmissão de posse. Essa função continuará sendo exercida pelo subprocurador Alcides Martins.

Últimas notícias