Mourão sinaliza reforma ministerial, começando pelo Itamaraty

Em entrevista na manhã desta 4ª feira (27/1), o vice-presidente previu o início de mudanças no gabinete, após as eleições no Congresso

atualizado 27/01/2021 17:00

Vice presidente Hamilton MourãoRafaela Felicciano/Metrópoles

Na manhã desta quarta-feira (27/1), em entrevista à Rádio Bandeirantes, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão (PRTB), sinalizou a possibilidade de que a reforma ministerial comece a ser discutida após as eleições para a presidência da Câmara dos Deputados e do Senado. Segundo Mourão, o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, tem grandes chances de deixar o cargo.

“Não tenho bola de cristal, nem esse assunto foi discutido comigo. Mas, em um futuro próximo, depois da eleição dos novos presidentes das duas Casas do Congresso, poderá ocorrer uma reorganização do governo para que seja acomodada uma nova composição política que emergir desse processo. Talvez com isso aí alguns ministros sejam trocados, entre eles, o próprio ministro das Relações Exteriores”, apontou, ressaltando que não participa das negociações.

Araújo protagoniza um entrave por conta das negociações para a aquisição de imunizantes chineses e indianos contra a Covid-19. Apesar da percepção pessimista para o chefe do Itamaraty, na segunda-feira (25/1), Mourão saiu em defesa do ministro, dizendo que ele tomou as “providências necessárias” diante da questão diplomática.

“O ministro Araújo tomou as providências necessárias. Acompanha aí o placar das vacinas, vocês vão ver que, brevemente, o Brasil vai estar ali na quinta, sexta posição, em número de vacinados. O que, obviamente, não é tão bom em relação à quantidade da população, mas é bom em número quantitativo”, argumentou.

Últimas notícias