MEC vai oferecer alimentação escolar mesmo com aulas suspensas

O presidente se reuniu com o ministro da Educação, Abraham Weintraub, e definiu os critérios de entrega da comida

atualizado 20/03/2020 11:44

Rafaela Felicciano/Metrópoles

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), informou que tem se reunido com o ministro da Educação, Abraham Weintraub, para garantir a alimentação escolar de famílias de baixa renda que estejam com os filhos sem ir às aulas devido à pandemia do novo coronavírus.

Em todo o país, medidas de isolamento atingiram as escolas, que estão com aulas suspensas e férias antecipadas.

“Acertei com o Weintraub a questão da alimentação escolar, que vem basicamente da agricultura familiar. A escola está recebendo e nós estamos entregando nas casas ou os pais vão buscar o alimento”, disse.

O cancelamento de aulas chegou a ser abordado com preocupação pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Segundo ele, é comum na cultura brasileira que crianças e adolescentes, quando não podem ir à escola, acabem ficando sob o cuidado dos avós, o que compromete a segurança dos idosos.

Em pessoas mais jovens, a taxa de mortalidade do coronavírus é muito baixa e é possível que o paciente não apresente sintomas da doença Covid-19. Aumentando o contato com os avós, os idosos — grupo mais vulnerável —, ficariam ainda mais em risco.

Últimas notícias