Mandetta não cita Bolsonaro, mas diz que momento é de “união”

Entrevista diária no Palácio do Planalto sobre enfrentamento à crise do coronavírus reuniu ministros e técnicos da área da saúde

Coletiva no Planalto: Luiz Henrique Mandetta e Braga NettoIgo Estrela/Metrópoles

atualizado 07/04/2020 18:16

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, participa na tarde desta terça-feira (07/04) de entrevista coletiva no Palácio do Planalto sobre as últimas medidas de combate ao novo coronavírus.

Logo após Mandetta responder a algumas perguntas, e renovar pedido de calma e união para o enfrentamento da pandemia, o ministro-chefe da Casa Civil, Braga Netto, garantiu que, na reunião ministerial convocada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nessa segunda (06/04), “o assunto não foi a demissão do ministro”.

“O presidente tem direito de convocar os ministros e garanto que o tema da reunião não foi a demissão do ministro Mandetta. E está aqui o ministro Mandetta, com relacionamento cordial com todos os ministros. Essa é a posição do governo”, disse Braga Netto.

Questionado sobre o mesmo tema, o ministro da Saúde disse que o momento é de “união, participação e foco”.

“Tudo que estamos precisando agora é união, participação de todos, foco. É normal as vezes você olha e ninguém consegue ter olhar só de um ângulo. No ministério temos dúvidas, vamos fazer nosso melhor. Às vezes as pessoas têm opiniões divergentes. São cabeças muito qualificadas, que pensam juntas”, disse Mandetta sem citar o presidente Jair Bolsonaro.

Nas últimas semanas, Bolsonaro e Mandetta travaram um embate público ao darem opiniões diferentes sobre a forma de combater o novo coronavírus.

Enquanto o ex-titular da Saúde defende o isolamento, como também orienta a Organização Mundial de Saúde (OMS), o presidente vem defendendo o fim do “confinamento em massa” e a reabertura do comércio.

Em entrevista na semana passada, Bolsonaro disse que ele e Mandetta estão se “bicando há algum tempo”. No último domingo (05/04), sem citar nomes, o presidente disse não ter medo de usar a caneta com pessoas do governo que viraram estrelas.

“Acho que a gente tem que andar pra frente, olhar pra frente, uma experiência para olhar pelo para-brisa e olhar pouco para o retrovisor. E a imprensa pode ajudar nisso”, concluiu Mandetta.

Últimas notícias