Maia pede demissão de Alvim: “Passou dos limites. Inaceitável”

O secretário especial da Cultura parafraseou ministro da Propaganda de Adolf Hitler, Joseph Goebbels

atualizado 17/01/2020 16:24

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pediu o afastamento imediato do secretário especial da Cultura, Rodrigo Alvim, após a citar ministro da Propaganda do governo de Adolf Hitler, Joseph Goebbels, para anunciar o Prêmio Nacional das Artes. A fala provocou reações na internet.

Nas redes sociais, Maia classifica como inaceitável a declaração do ministro, que teria sido copiada de um discurso de Goebbels. “O secretário da Cultura passou de todos os limites. É inaceitável. O governo brasileiro deveria afastá-lo urgentemente do cargo”, opinou.

No vídeo publicado no perfil oficial da Secretaria Especial da Cultura no Twitter, Alvim diz que “a arte brasileira da próxima década será heroica e será nacional. Será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes do nosso povo, ou então não será nada”.

O secretário disse ainda que “ao país a que servimos só interessa uma arte que cria a sua própria qualidade a partir da nacionalidade plena”. “Queremos um cultura dinâmica e, ao mesmo tempo, enraizada na nobreza dos nossos mitos fundantes. Pátria, família, a coragem do povo e a sua profunda ligação com Deus amparam nossas ações na criação de políticas públicas”, emendou.

A citação se assemelha ao que disse o ministro do governo nazista, reproduzido no livro Goebbels: a Biography, escrito por Peter Longerich.

Últimas notícias