Jair Renan abriu empresa com ajuda de lobista alvo da CPI, diz jornal

Troca de mensagens entre o filho do presidente Bolsonaro e Marconny Faria, da Precisa Medicamentos, demonstram auxílio de lobista ao 04

atualizado 01/09/2021 19:42

Renan BolsonaroRafaela Felicciano/Metrópoles

Jair Renan Bolsonaro, filho 04 do presidente Jair Bolsonaro, abriu a empresa Bolsonaro Jr Eventos e Mídia, com a ajuda de Marconny Faria, lobista da Precisa Medicamentos, segundo apontam trocas de mensagens obtidas pelo jornal Folha de S.Paulo.

Os diálogos foram enviados à CPI da Covid-19 pela Procuradoria Regional do Pará, depois que os investigadores daquele estado, que apuravam a influência do lobista em uma indicação para órgão público, viram que Marconny havia sido citado nas negociações da Precisa Medicamentos.

A empresa foi intermediadora das negociações do laboratório indiano Bharat Biotech com o Ministério da Saúde para a compra da vacina Covaxin. O governo, todavia, decidiu cancelar o contrato na última semana, após irregularidade em relação a negociação vir à público.

De acordo com os diálogos, o lobista e Jair Renan começaram a tratar do tema no dia 17 de setembro de 2020. Marconny chamou o filho do presidente para resolver a questão do contrato dele. Cinco dias depois, Marconny Faria pediu a seu advogado, William de Araújo Falcomer dos Santos, que lhe enviasse a localização de seu escritório para passar a Jair Renan – e recebeu um “já mando” como resposta.

Em 11 de outubro, o lobista mandou uma reportagem sobre a inauguração da empresa de Jair Renan para William, que respondeu: “Fui lá ontem. Tava legal”. Três dias depois, William disse: “Renan veio aqui hj. Fiz o certificado. Conversamos algumas coisas”. E Marconny respondeu: “Coisa boa”. Em seguida, o advogado dsse: “Amanhã ele assina a abertura da 1 empresa dele”.

Marconny Faria, que tinha depoimento previsto para esta quinta-feira (2/9) na CPI, apresentou atestado médico, com dor pélvica para não comparecer.

Mais lidas
Últimas notícias