Eleição para presidência da Câmara será no dia 1º de fevereiro e presencial

Essa era a decisão defendida pelo grupo pró-Arthur Lira (PP-AL), que tem maioria no colegiado

atualizado 18/01/2021 12:48

Michel Jesus/Câmara dos Deputados

A Mesa Diretora da Câmara dos Deputados definiu, nesta segunda-feira (18/1), por 4 votos a 3, que a eleição interna da Casa será presencial no dia 1° de fevereiro, como defendiam os apoiadores do candidato Arthur Lira (PP-AL), que tem maioria no colegiado. O pleito será secreto, como diz o Regimento Interno.

Apoiadores de Lira defendiam que a votação ocorresse de forma presencial, o que, na avaliação deles, seria uma vantagem para o candidato do Planalto, visto que muitos votos são revertidos na reta final. Eles avaliam que, se a votação fosse remota, poderia ocorrer alguma coerção dos líderes partidários.

Voto vencido, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), fez questão de destacar posição contrária. “Se decidiu, por maioria, contra o meu voto, não ter nenhuma flexibilidade de votação remota para os deputados e deputadas do grupo de risco”, disse Maia.

“O número de deputados do grupo de risco não é tão grande, mas vamos ter que mobilizar mais de 2 mil funcionários diretos e indiretos, a imprensa. Acaba tendo uma circulação mínima de 3 mil pessoas”, acrescentou.

Nas últimas semanas, houve troca de frapas entre apoiadores de Lira e de Baleia Rossi (MDB-SP) por causa do formato e da data do pleito. O presidente da Câmara defendeu na última terça-feira que fosse presencial, com exceção dos deputados do grupo de risco, e no dia 2. Desta forma, a eleição será realizada no mesmo formato do Senado.

Participaram da reunião presencialmente o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), Marcos Pereira (Republicanos-SP), 1° vice-presidente, Soraya Santos (PL-RJ), 1ª secretária, Mário Heringer (PDT-MG), 2° secretário, Expedito Neto (PSD-RO), 3° secretário, Luis Tibé (Avante-MG), procurador da Casa.

Remotamente, estiveram presentes Luciano Bivar (PSL-PE), 2° vice-presidente, André Fufuca (PP-MA), 4° secretário, Paulo Bengston (PTB-AP), corregedor da Casa. Os deputados Arthur Maia (DEM-BA) e Margarete Coelho (PP-PI), que não têm assentos no colegiado, também participaram presencialmente.

Além de Lira e Rossi, disputam o pleito Alexandre Frota (PSDB-SP), André Janones (Avante-MG), Capitão Augusto (PL-SP), Fábio Ramalho (MDB-MG), Luiza Erundina (PSol-SP) e Marcel Van Hatten (Novo-RS).

Últimas notícias