Eduardo Bolsonaro reage a americano: “Apoio a Trump é convicção pessoal”

O presidente da Comissão da Câmara norte-americana, Eliot Engel, pediu para que a família Bolsonaro fique de fora das eleições daquele país

atualizado 28/07/2020 20:20

Alan Santos/PR

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) afirmou nesta terça-feira (28/7) que o seu apoio à reeleição de Donald Trump para a Presidência dos Estados Unidos se trata de uma “convicção pessoal”.

Em uma série de publicações no Twitter, o deputado ainda criticou de forma indireta o presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara norte-americana, Eliot Engel.

Nessa segunda (27/7), Engel pediu para que a família Bolsonaro “fique fora” das eleições nos EUA.

“Já vimos esse manual antes. É vergonhoso e inaceitável. A família Bolsonaro precisa ficar de fora das eleições nos EUA”, escreveu no perfil do da comissão, citando um post de Eduardo com a inscrição “Trump 2020” e um vídeo da campanha presidencial de Trump.

Em resposta à declaração da comissão da Câmara norte-americana, Eduardo Bolsonaro afirmou que aquela era “a posição individual do presidente [da comissão], o congressista de esquerda Eliot Engel (Partido Democrata)”.

O deputado chegou a criticar o acordo sobre o programa nuclear iraniano, firmado em 2015 durante o governo de Barack Obama.

“O que acontece nos EUA repercute no mundo e é inaceitável cobrar de mim uma posição não de neutralidade, mas de omissão”, disse o parlamentar. “As relações Brasil-EUA estão acima das pessoas e independentemente do vitorioso nos EUA em 2020 trabalharemos para manter essa boa relação.”

O embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Todd Chapman, defendeu o parlamentar brasileiro. Para Chapman, o filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) está exercendo sua liberdade de expressão.

Atual presidente dos EUA, Trump é candidato à reeleição, mas não é favorito, segundo pesquisas de intenções de votos dos norte-americanos. Nas simulações, o republicano perde para o progressista Joe Biden, que chega a ter vantagem de 15% sobre o adversário.

0

 

Últimas notícias