Edson Fachin diz que inimigos da democracia “estão à solta”

Presidente do TSE e ministro do STF afirmou nesta terça-feira (22/3) que país está "à mercê dos engenheiros do caos"

atualizado 22/03/2022 15:48

Ministro Edson Fachin no TSERafaela Felicciano/Metrópoles

Atual presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Edson Fachin (foto em destaque) afirmou, nesta terça-feira (22/3), que os inimigos da democracia estão à solta.

“Estejamos atentos. A liberdade requer vigilância. A democracia requer vigilância. Seus inimigos estão à solta. Basta ler nas redes sociais: ameaças, insultos, mensagens racistas, mentiras deliberadas, articulações de complô. Algoritmos disseminam o ódio, capturam o consentimento das pessoas, disseminam o medo e impactam as eleições”, disse Fachin, em evento no Ceub, em Brasília.

0

O ministro do Supremo Tribunal Federal explicou que hoje o principal adversário da democracia é o processo de deseducação feito com “comportamentos de palavras de ordem que vão condicionar o comportamento de jovens de hoje e do amanhã”.

“Fez-se, e tenta assim manter, uma espécie de mutação genética para ameaçar as eleições e tomar de assalto os pulmões da democracia. Não nos iludamos: é grave a hora em que nós vivemos. Estamos à mercê dos engenheiros do caos. A ruína é plantada para dela colher um novo estado de coisas. A democracia contemporâneo está sendo hackeada. E por esses novos bárbaros que são os canibais da democracia liberal”, acrescentou.

“Por isso, a resiliência democrática, a serenidade que devemos ter na defesa firme das instituições democráticas, o respeito às regras do jogo eleitoral. Isso tudo são condições de possibilidades para que o futuro seja habitável. Para que jovens como vocês tenham a liberdade de pensar e a capacidade de julgar com paz e segurança”, prosseguiu Fachin.

Assista ao evento:

Mais lidas
Últimas notícias