DEM e MDB deixam bloco do Centrão na Câmara dos Deputados

Liderado por Arthur Lira (PP-AL), aliado do governo, o grupo era formado por 221 parlamentares e foi reduzido para 158

atualizado 27/07/2020 18:03

Câmara dos DeputadosNajara Araújo/Câmara dos Deputados

O DEM e o MDB vão deixar nesta segunda-feira (27/7) o bloco do “Centrão” na Câmara dos Deputados, que fechou apoio ao presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido). Comandado por Arthur Lira (PP-AL), o grupo, que antes somava 221 parlamentares, fica reduzido para 158.

Seguem no “blocão” os partidos PP, PL, PSD, Solidariedade, PTB, PROS e Avante. O grupo foi criado em 2019 antes da formação da Comissão Mista do Orçamento (CMO), colegiado que aprova o orçamento federal e ainda cria regras para o pagamento e uso das emendas parlamentares.

Segundo o presidente do MDB e líder da sigla na Casa, Baleia Rossi (SP), a presença do partido no bloco era apenas para ganhar cadeiras nas comissões e que a legenda mantém uma posição “independente”.

Assim como Baleia, o líder do blocão, Arthur Lira (PP-AL), também disse que o grupo foi formado apenas para compor a comissão e reforçou que é “natural” que ele se desfaça. “Ele deveria ter sido desfeito em março, o que não aconteceu por conta da pandemia”, completou.

Coms a saídas do blocão do DEM, partido do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do MDB, comandado por Baleia, acelera-se a discussão sobre o nome do sucessor de Maia. O emedebista é um dos candidatos à vaga, além de Lira, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), Marcos Pereira (Republicanos-SP) e Elmar Nascimento (DEM-BA).

0

 

 

Últimas notícias