De saída, Temer nomeia Marun para conselho da Itaipu Binacional

Como conselheiro da empresa, Marun vai receber salário de R$ 27 mil e participará de reuniões bimestrais

atualizado 31/12/2018 16:54

Em um dos seus últimos atos como presidente da República, Michel Temer (MDB) nomeou o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun (MDB), para a função de conselheiro de Itaipu Binacional. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira (31/12).

Marun foi um dos principais defensores, na Câmara, do então deputado Eduardo Cunha (MDB-RJ) e, após o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e ascensão de Temer ao cargo, tornou-se um dos seus principais auxiliares do emedebista, assumindo a articulação política do Planalto no fim de 2017. Na época, a principal missão de Marun era negociar a reforma da Previdência, proposta que acabou sem aprovação no governo Temer.

O mandato no conselho de administração de Itaipu terá validade até 16 de maio de 2020. Ele substituirá o advogado Frederico de Oliveira, servidor da Casa Civil. Como conselheiro, Marun vai participar de reuniões bimestrais e, para tanto, terá um salário que até o meio do ano era de R$ 27 mil.

A Lei das Estatais, sancionada por Temer em junho de 2016, impede a indicação de ministros para cargos de gestão nessas empresas. Para driblar esse impedimento, o governo publicou, também no Diário Oficial desta segunda, a exoneração de Marun do cargo de ministro.

Últimas notícias