CPI: Heinze sugere entregar estudo pró-cloroquina a Renan, que recusa

Mais cedo, deputado bolsonarista chamou o relator de "mentiroso" por acusá-lo de recomendar uso de medicamento animal em humanos

atualizado 06/05/2021 18:30

Renan CalheirosIgo Estrela/Metropoles

Os senadores Renan Calheiros (MDB-AL) e Luis Carlos Heinze (PP-RS) voltaram a se desentender durante a sessão da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, que colhe, nesta quinta-feira (6/5), o depoimento do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

Heinze afirmou ter em mãos uma retratação de pesquisadores da Harvard de que um estudo contrário ao uso da cloroquina no tratamento de pacientes da Covid-19 havia sido fraudado. Ele, então, sugeriu entregar a retratação ao relator da CPI, que recusou.

“Vou lhe entregar esse material. Um colega aqui falou sobre uma pesquisa da Harvard. Preste atenção, senador Renan, aqui está a retratação, tiveram que se retratar porque foi fraudulenta a pesquisa. Vou lhe entregar, senhor relator”, afirmou Heinze. Renan então respondeu de imediato: “Para mim, não precisa”.

Mais cedo, Heinze e Renan Calheiros protagonizaram uma discussão acalorada, onde o relator acusou o senador do Progressistas de recomendar uso de medicamentos animais para o tratamento humano da Covid-19.

“Impraticável. Este senhor ontem aqui chegou a recomendar remédio de animal para humano. Temos que ter responsabilidade”, disse Renan a Heinze, que rebateu: “Vossa excelência mente. Vossa excelência é um mentiroso”.

0

 

Enquanto Heinze defendia o estudo, o presidente da CPI da Covid-19, Omar Aziz (PSD-AM), disse que a médica Nise Yamaguchi, uma das entusiastas do “tratamento precoce”, esteve, na manhã desta quinta-feira, em seu gabinete, e se ofereceu para participar da comissão. Há requerimento no colegiado para convocar a médica.

“Hoje de manhã cedo, eu cheguei aqui às 8 horas da manhã, a doutora Yamaguchi, que é cardiologista, estava no meu gabinete se oferecendo para vir aqui também, senador”, afirmou Aziz. “Acho que o debate, independente de posicionamento é papel do senado ouvir a todos. Uma das maiores defensoras disso é a Yamaguchi”, acrescentou.

A sessão

A CPI recebe, nesta quinta, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Ele é o terceiro depoente da CPI da Covid. Antes, os senadores ouviram os esclarecimentos dos ex-ministros Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich.

O general Eduardo Pazuello só será ouvido em 19 de maio, uma vez que teve contato com duas pessoas infectadas pelo novo coronavírus.

A CPI da Covid-19 tem o objetivo de investigar as ações e omissões do governo federal no enfrentamento à pandemia e, em especial, no agravamento da crise sanitária no Amazonas com a ausência de oxigênio, além de apurar possíveis irregularidades em repasses federais a estados e municípios.

Últimas notícias