CPI faz audiência “interativa” sobre a pandemia com especialistas

Marcada para 9h, a sessão poderá contar com a participação de internautas, por meio do envio de perguntas

atualizado 10/06/2021 20:40

bióloga Natalia PasternakDivulgação

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid realiza, nesta sexta-feira (11/6), a primeira audiência pública com especialistas para tratar de medidas de combate à pandemia. Os senadores convidaram os cientistas e pesquisadores Natalia Pasternak e Claudio Maierovitch.

Marcada para 9h, a sessão será “interativa”, com a possibilidade de participação de internautas, por meio do envio de perguntas.

A tendência é de que a dupla seja questionada sobre eficácia da vacinação e das medidas não farmacológicas, como uso de máscaras de proteção e distanciamento social, além da eficácia ou não do chamado tratamento precoce de pacientes da Covid-19.

Perfil dos convidados

Formada em ciências biológicas pelo Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (IB-USP), Natália Pasternak é fundadora do Instituto Questão de Ciência (IQC) e primeira brasileira a integrar o Comitê para Investigação Cética. Ela é PhD em microbiologia genética molecular de bactérias pela USP.

Cláudio Maierovitch é médico sanitarista e ex-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), entre 2003 e 2008. O cientista também ocupou a direção da Vigilância de Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde de 2011 a 2016. Atualmente, ocupa a coordenação do Núcleo de Epidemiologia e Vigilância em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em Brasília (DF).

Quebras de sigilo

Nessa quinta (10/6), a CPI da Covid aprovou a quebra dos sigilos telemático e telefônico dos ex-ministros Ernesto Araújo, das Relações Exteriores, e Eduardo Pazuello, da Saúde, além de outras 16 pessoas.

Inicialmente, havia a previsão de que a sessão fosse destinada ao depoimento do governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), o que não ocorreu. No fim da noite de quarta (9/6), a ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu habeas corpus permitindo ao governador não comparecer ao colegiado.

Os requerimentos miram a atuação do governo federal no processo de aquisição de vacinas e tentam identificar como operava e quem integrava o “gabinete paralelo” — grupo que prestava assessoramento alternativo ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre medidas de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus.

Parte dos requerimentos de quebra de sigilo aprovados pela comissão nesta sessão tem, como alvo, depoentes do colegiado ou pessoas que foram citadas durante as oitivas, com participação em episódios investigados pela CPI.

Confira a lista:

  • Filipe Martins, assessor especial da Presidência da República;
  • Ernesto Araújo, ex-ministro das Relações Exteriores;
  • Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde;
  • Carlos Wizard, empresário;
  • Paolo Zanotto, virologista;
  • Túlio Silveira, representante da Precisa Medicamentos;
  • Marcellus Campelo, secretário de Saúde do Governo do Amazonas;
  • Luciano Dias Azevedo, tenente-médico da Marinha do Brasil;
  • Hélio Angotti Neto, secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde, do Ministério da Saúde;
  • Francisco Ferreira Filho, coordenador do Comitê da Crise do Amazonas;
  • Francieli Fontinato, coordenadora do Plano Nacional de Imunização (PNI);
  • Antônio Elcio Franco, ex-secretário-executivo do Ministério da Saúde; e
  • Mayra Pinheiro, secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, do Ministério da Saúde;
  • Zoser Hardman, ex-assessor especial do Ministério da Saúde;
  • Flávio Werneck, ex-assessor de Relações Internacionais do Ministério da Saúde;
  • Camile Giaretta Sachetti, ex-diretora do departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde;
  • Arnaldo Correia de Medeiros, secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde;
  • Alexandre Figueiredo Costa e Silva Marques, auditor do Tribunal de Contas da União (TCU).

Últimas notícias