CPI da Covid deve virar frente parlamentar, diz Randolfe Rodrigues

O objetivo do grupo é acompanhar os desdobramentos das investigações conduzidas pelos senadores no âmbito da comissão

atualizado 12/10/2021 16:51

Senadores Renan Calheiros e Randolfe RodriguesIgo Estrela/Metrópoles

Após a conclusão das atividades da CPI da Covid-19, senadores que integram o colegiado devem trabalhar para a criação de uma frente parlamentar que vai monitorar o momento pós-relatório. A informação foi divulgada pelo vice-presidente do colegiado, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), em entrevista à GloboNews.

O objetivo do grupo – que deve ser, em primeiro momento, exclusivamente formado por parlamentares membros da comissão – é acompanhar os desdobramentos das investigações conduzidas pelos senadores.

“Nós reunimos senadores com linhas distintas e diferentes. Eu e o relator Renan Calheiros tínhamos divergências, o senador Tasso [Jereissati] tinha divergências. Senadores de posições diferentes que construíram a teia de um tecido que fez, na prática, uma frente ampla contra o negacionismo”, defendeu Randolfe.

Para sair do papel, é preciso que os senadores consigam aprovar, também, um projeto de resolução, amparando a instalação da frente parlamentar. O texto da proposta, segundo membros da comissão, estaria próximo de ser finalizado.

Conforme previsto pelo G7, que comanda os trabalhos do colegiado, a CPI da Covid tem previsão de encerramento na próxima semana. A votação do relatório final de Calheiros deve ser realizado no próximo dia 20 de outubro.

Mais lidas
Últimas notícias