Coronavírus: governo prevê R$ 140 milhões para máscaras e luvas

Na manhã desta quarta, Ministério da Saúde confirmou primeiro caso da doença no país. Também é o primeiro caso registrado na América Latina

atualizado 26/02/2020 20:34

O Ministério da Saúde abriu processo de licitação para aquisição de 60 milhões de unidades de “Equipamentos de Proteção Individual (EPI)”, como óculos de proteção, luvas, máscaras, álcool em gel, sapatilhas, toucas e roupas descartáveis, para distribuir a todos os estados do país, ampliando os estoques já disponíveis, como forma de prevenção ao coronavírus. O anúncio foi feito pelo Casa Civil, na noite desta quarta-feira (26/02/2020).

Em nota (veja a íntegra ao final da reportagem), o Ministério da Saúde afirmou que a estimativa de investimento é de até R$ 140 milhões. A pasta afirmou que os “equipamentos individuais irão reforçar a assistência hospitalar e ambulatorial no SUS [Sistema Único de Saúde]”.

“A ação vai garantir o reforço de insumos para os profissionais de saúde, que atuam na rede pública, no período da emergência de saúde. Cabe ressaltar que é de responsabilidade dos estados a distribuição dos EPIs aos municípios”, diz trecho da nota.

Nesta noite, o Grupo Executivo Interministerial de Emergência e Saúde Pública de Importância Nacional e Internacional se reuniu no Palácio do Planalto, como antecipou o Metrópoles. Entre os ministros presentes na reunião estavam: Braga Netto (Casa Civil), Luiz Henrique Mandetta (Saúde) e Sergio Moro (Justiça) (veja abaixo lista com as autoridades presentes no encontro desta quarta).

De acordo com Mandetta, o grupo foi atualizado “com as informações mais recentes sobre a epidemia mundial [o termo ainda não é utilizado pela Organização Mundial da Saúde] do coronavírus, que teve na manhã de hoje a primeira confirmação de infectado brasileiro”.

Na manhã desta quarta, o Ministério da Saúde confirmou o primeiro caso de coronavírus no Brasil. Com isso, também é o primeiro caso registrado na América Latina.

De acordo com a pasta, trata-se de um homem de 61 anos, residente de São Paulo, que veio da Itália. Ele está em quarentena domiciliar, acompanhado da esposa, que está assintomática até então.

Ao menos 16 passageiros que estavam no mesmo voo do brasileiro com coronavírus devem ser colocados em observação.

Além disso, há 20 pacientes em investigação em todo o país. Outros 59 casos foram descartados.

Veja a íntegra da nota divulgada pelo Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde informa que iniciou processo de licitação, considerando situação de emergência para o coronavírus. Houve chamamento público, em edição extra do DOU, do dia 31 de janeiro. O levantamento de custo e quantitativos de insumos foi realizado para 21 itens de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), com previsão de 60 milhões de unidades, dentre eles: óculos de proteção, luvas, máscaras, álcool em gel, sapatilhas, toucas e roupas descartáveis.

A estimativa de investimento é de até R$ 140 milhões para compra desses equipamentos individuais, que irão reforçar a assistência hospitalar e ambulatorial no SUS. A ação vai garantir o reforço de insumos para os profissionais de saúde, que atuam na rede pública, no período da emergência de saúde. Cabe ressaltar que é de responsabilidade dos estados a distribuição dos EPIs aos municípios.

Por fim, o Ministério da Saúde informa que o processo licitatório está em fase interna. Assim, nesse período é obrigatório o sigilo das propostas, conforme determina a Lei de Licitações. Portanto, qualquer divulgação antecipada poderá ocorrer em prejuízos à Administração Pública.

Lista de autoridades presentes na reunião desta quarta:

  • Walter Souza Braga Netto (Casa Civil)
  • Luiz Henrique Mandetta (Saúde)
  • Fernando Azevedo e Silva (Defesa)
  • Ernesto Araújo (Itamaraty)
  • Sérgio Moro (Justiça)
  • Onyx Lorenzoni (Cidadania)
  • Augusto Heleno (GSI)
  • Tereza Cristina (Agricultura)
  • Jorge Oliveira (Secretaria Geral)

De acordo com a Casa Civil, também participaram os secretários executivos de Economia, Secretaria de Governo, Secretária de Comunicação, Desenvolvimento Regional, Saúde, Justiça e Gabinete de Segurança Institucional, bem como representantes da Polícia Federal e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Últimas notícias