Bolsonaro sobre crise do petróleo: “Tendência que preços caiam”

O ministro Bento Albuquerque afirmou que o governo não vai tomar nenhuma medida emergencial

atualizado 09/03/2020 16:03

Alan Santos/PR

Enviado especial a Miami (EUA) – O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta segunda-feira (09/03) que não há possibilidade de aumentar a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) para manter o preço dos combustíveis.

“O barril do petróleo caiu, em média, 30%. A Petrobras continuará mantendo sua política de preços sem interferências. A tendência é de que os preços caiam nas refinarias”, disse o mandatário do país, que está em viagem oficial aos Estados Unidos.

0

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, reforçou que não haverá aumento da contribuição. “A Cide é um dos componentes desses instrumentos que podem ser utilizados, como PIS/Cofins, ICMS, etc. Não tem nada de que vai aumentar a Cide, vai diminuir a Cide”, finalizou.

A Cide, instituída pela Lei nº 10.336/2001, tem a finalidade de assegurar valor mínimo de recursos para investimento em infraestrutura de transporte, projetos ambientais ligados à indústria de petróleo e gás e subsídios ao transporte.

Albuquerque frisou que o governo não pretende tomar nenhuma medida “emergencial”. Segundo o titular de Minas e Energia, o próprio presidente Jair Bolsonaro (sem partido) estaria “tranquilo”.

Nesta segunda-feira, a Bolsa de Valores de São Paulo suspendeu as operações de compra e venda de ações em função de uma queda de 10% — o movimento é conhecido como circuit breaker e a última vez que tinha ocorrido foi em outubro de 2017.

O valor das ações foi fortemente afetado pela queda no preço do petróleo no mercado internacional. A Arábia Saudita reduziu o preço, abrindo o caminho para um aumento da produção em abril.

Últimas notícias