Bolsonaro reconhece vitória de Biden e fala em “trabalho de aproximação”

Na segunda (14/12), Colégio Eleitoral oficializou vitória do democrata nas eleições dos EUA. Posse está marcada para 20 de janeiro

atualizado 15/12/2020 18:10

Carolina Antunes/PR

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) finalmente reconheceu, nesta terça-feira (15/12), a vitória de Joe Biden na eleição presidencial dos Estados Unidos, realizada em novembro deste ano.

Durante entrevista à TV Band, no programa Brasil Urgente, Bolsonaro disse que os dois países vão fazer um “trabalho de cada vez mais aproximação”.

“Alguns minutos antes de entrar no ar eu já dei um ‘start’ para o nosso ministro [das Relações Exteriores] Ernesto Araújo para ele fazer essa comunicação nossa, nas redes oficiais do governo. Depois, nas minhas redes particulares. Posso te mandar agora aqui, desligando o telefone, qual foi a mensagem que eu mandei para o presidente Biden. Da minha parte, e da parte dele com toda certeza, o americano é pragmático, nós vamos fazer um trabalho de cada vez mais aproximação”, disse o presidente Jair Bolsonaro.

Com a decisão de Bolsonaro, o único líder mundial que ainda não reconheceu a eleição de Biden e a derrota de Donald Trump é o ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un.

Na mesma entrevista, o chefe do Executivo brasileiro ainda afirmou que a união bilateral durante a gestão de Trump foi “excelente” e que espera que “dê tudo certo com Biden”.

“O que o americano tinha do Brasil era sempre uma política um tanto quanto agressiva. Era o tempo todo um pessoal aí, alguns presidentes, quase todos os anteriores, chamando ele [Trump] de imperialista, colocando nele a culpa de tudo de ruim que acontecia no mundo… E não é assim, tá?”, disse Bolsonaro.

“Avançamos, conseguimos alguma coisa com o governo Trump e eu espero que tudo dê certo com o Biden agora que, já que os delegados reconheceram lá que ele ele realmente foi eleito, eu não vou discutir mais a questão se houve ou não uma eleição tranquila lá. Não cabe mais a mim falar absolutamente mais nada. Esperei o reconhecimento e nós aqui já fizemos o comunicado agora há pouco ao presidente Joe Biden”, prosseguiu.

Logo após a declaração do presidente, o Itamaraty divulgou uma nota em que reconhece a vitória de Biden e fala na “continuidade à construção de uma aliança Brasil-EUA, na defesa da soberania, da democracia e da liberdade em todo o mundo, assim como na integração econômico-comercial em benefício dos nossos povos”. (leia a íntegra mais abaixo)

Demora no reconhecimento

Mais cedo, nesta terça, o vice-presidente Hamilton Mourão disse não saber o que faltava para que o Brasil reconhecesse a vitória do democrata.

Questionado por jornalistas, o vice-presidente respondeu apenas: “Não sei”. Em seguida, a imprensa ponderou que o Brasil era um dos únicos países que ainda não haviam feito o reconhecimento. Mourão se limitou a dizer um “pois é”.

Nos últimos 40 anos, todos os presidentes brasileiros mandaram algum tipo de comunicado oficial, no mais tardar, no dia seguinte ao anúncio da eleição nos Estados Unidos. O reconhecimento é considerado uma tradição da diplomacia brasileira, não importando se o eleito é democrata ou republicano.

Bolsonaro sempre colocou a amizade com o atual presidente dos EUA, Donald Trump, como prioridade na relação internacional brasileira. Durante a pandemia de Covid-19, os dois chefes de Estado fizeram duras críticas às políticas de isolamento social e chegaram a defender o uso de medicamentos sem comprovação científica no tratamento da doença. Tanto Bolsonaro quanto Trump já foram infectados pelo novo coronavírus.

Colégio Eleitoral

Na segunda (14/12), o Colégio Eleitoral dos Estados Unidos confirmou a vitória de Joe Biden nas eleições presidenciais do país. A posse do democrata está prevista para ocorrer em 20 de janeiro.

Biden superou os 270 votos, ultrapassando a metade do total de 538 delegados, pouco antes das 19h30 desta segunda, quando os 55 representantes da Califórnia votaram de forma unânime a seu favor.

Pelo resultado parcial, Biden obteve 302 votos no Colégio Eleitoral e Trump, 232. Em número de votos, ao todo, foram 81,3 milhões para o democrata e 74,3 milhões para o republicano.

A decisão dessa segunda é mais uma derrota para o atual presidente dos EUA, Donald Trump, que tenta cancelar a resposta das urnas. Ele fez acusações, sem provas, de que as eleições do país haviam sido uma fraude e chegou a contestar o resultado em alguns estados onde foi derrotado pelo adversário.

Rito constitucional

De acordo com o rito constitucional, os delegados se reúnem para depositar nas urnas seus votos para presidente.

Depois, as cédulas seguem para Washington, onde serão somadas apenas em 6 de janeiro.

Na data, durante uma sessão do Congresso norte-americano, o presidente do Senado e vice-presidente, Mike Pence, deve proclamar oficialmente o nome do novo presidente americano e da vice-presidente, Kamala Harris.

Leia a íntegra da nota do Itamaraty

“Cumprimentos do Presidente Jair Bolsonaro ao Presidente-Eleito dos EUA Joe Biden

O Presidente Jair Bolsonaro transmite a seguinte mensagem ao Presidente-Eleito Joe Biden após o anúncio dos resultados da votação no Colégio Eleitoral dos EUA:

– Saudações ao Presidente Joe Biden, com meus melhores votos e a esperança de que os EUA sigam sendo ‘a terra dos livres e o lar dos corajosos’.

– Estarei pronto a trabalhar com V. Exa. e dar continuidade à construção de uma aliança Brasil-EUA, na defesa da soberania, da democracia e da liberdade em todo o mundo, assim como na integração econômico-comercial em benefício dos nossos povos”.

0

 

Últimas notícias