Bolsonaro quer manter Bezerra Coelho como líder, afirma Alcolumbre

Presidente do Senado também disse que vai questionar judicialmente, no Supremo Tribunal Federal, operação da PF na Casa

atualizado 19/09/2019 19:28

Jefferson Rudy/Agência Senado

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), disse no início da noite desta quinta-feira (19/09/2019) que ouviu do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, que o governo não pretende trocar seu líder na Casa, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE). O senador pernambucano foi alvo de operação policial na manhã desta quinta.

“A disposição do ministro Onyx e do presidente Bolsonaro é de não fazer a troca neste momento”, declarou Alcolumbre ao deixar o Congresso.

O presidente da Casa também disse que pretende questionar no Supremo Tribunal Federal (STF) a autorização do ministro Roberto Barroso para a operação nas dependências do Senado.

“O corpo jurídico do Senado tem várias observações do ponto de vista da legalidade. Até a PGR fez manifestação contrária a essa medida cautelar, uma operação no gabinete do líder do governo. É uma investigação de 2012 e 2014, de quando ele não era líder. Vamos nos posicionar como instituição, como poder”, disse Alcolumbre, sem detalhar quais medidas judiciais pretende tomar.

A operação
A Polícia Federal faz uma operação no Congresso Nacional na manhã desta quinta-feira (19/09/2019), tendo como alvo Bezerra Coelho. O filho do senador, o deputado Fernando Coelho Filho (DEM-PE) também está na mira da PF.

PF investiga desvio de dinheiro público em obras na região Nordeste, quando Bezerra era ministro da Integração Nacional do governo de Dilma Rousseff (PT), entre 2011 e 2013. Ele teria recebido R$ 5,5 milhões em propinas.

Os mandados de busca e apreensão foram autorizados pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Roberto Barroso.

Nota do MDB
A bancad do MDB no Senado emitiu uma nota oficial de solidariedade a Bezerra Coelho nesta quinta. Confira a íntegra do texto:

“A Bancada do MDB no Senado vem manifestar sua solidariedade ao senador Fernando Bezerra, alvo de ação de busca e apreensão por parte da Polícia Federal.
Reiteramos, de forma enfática, que todas as denúncias de desvio de recursos públicos precisam ser devidamente investigadas. Ninguém está acima da lei. Mas é fundamental respeitar os limites de competência legal na condução das investigações.
Além do lapso temporal entre os fatos denunciados e a medida cautelar adotada, é particularmente grave tal decisão ter sido tomada à revelia da Procuradoria-Geral da República, que já havia recomendado o indeferimento do pedido de busca e apreensão formulado pela autoridade policial.
A independência e autonomia entre os Poderes da República são essenciais para o equilíbrio democrático. Esse equilíbrio não pode ser fragilizado por uma ação extemporânea. Cumpre observar que esse tensionamento das relações institucionais é particularmente grave num momento em que o Parlamento vem se dedicando para atender às justas exigências do País por reformas estruturantes, capazes de alicerçar a retomada do desenvolvimento.
No mais, queremos crer que as denúncias contra o líder do governo Fernando Bezerra se mostrem infundadas. O partido acompanha com absoluta atenção os desdobramentos da ação de hoje e reitera o apoio para que seja dado ao senador condições para sua mais ampla defesa, como é imperioso numa democracia.”

Senador Eduardo Braga
Líder do MDB

Últimas notícias