Bolsonaro nega racismo no Brasil e elogia Camargo: “Excelente”

Presidente se reuniu com o nomeado para a Fundação Palmares, que teve a indicação suspensa pela Justiça

Rafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 11/12/2019 10:54

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) comentou o encontro que teve com Sérgio Camargo, nomeado para assumir a presidência da Fundação Palmares, nessa terça-feira (10/12/2019). O chefe do Executivo disse ter tido uma “excelente impressão” do indicado para o posto.

Questionado por jornalistas ao deixar o Palácio da Alvorada, na manhã desta quarta-feira (11/12/2019), o mandatário do país evitou comentar pormenores sobre a ocasião. “Não vou entrar em detalhes porque vocês [repórteres] deterioram tudo isso aí”, frisou. “Não vou falar o detalhe. Gostei muito dele”, completou.

Bolsonaro disse concordar com a defesa de Camargo de que não existe racismo no Brasil. “Não tem essa história de branco e negro. Nós somos iguais e ponto final”, afirmou.

Por fim, o presidente salientou que, com a nova gestão, o Brasil mudou. Pontuou ainda que a “cultura é para a maioria, e não para a minoria”.

Sérgio Camargo foi definido no fim do mês passado como titular da Fundação Palmares. No entanto, na quarta-feira (04/12/2019), o juiz substituto da 18ª Vara Federal do Ceará, em Sobral, Emanuel José Matias Guerra, decidiu conceder medida liminar para suspender a nomeação.

O magistrado atendeu pedido feito por meio de ação civil pública contra a União. A iniciativa questiona os critérios adotados para a escolha de Camargo para assumir o cargo.

A medida foi tomada devido ao risco do que apontou como “rota de colisão com os princípios constitucionais da equidade, da valorização do negro e da proteção da cultura afrobrasileira”.

Nas redes sociais, Camargo se apresenta como “negro de direita, contrário ao vitimismo e ao politicamente correto”. Ele já afirmou que o país tem “racismo nutella“. Também defendeu o fim do feriado do Dia da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro.

Últimas notícias