Bolsonaro manda recado a Maia e diz que há “outros nomes” para Câmara

Presidente eleito também declarou que legislação trabalhista será preservada e que futuro indicado ao MRE deve sair nesta quarta-feira (14)

atualizado 14/11/2018 12:36

Rafaela Felicciano/Metrópoles

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, disse, em entrevista à TV Record nesta quarta-feira (14/11), que vai avisar ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), que há “outros candidatos” à vaga de presidente da Casa. Maia tenta costurar sua reeleição e vincula o apoio formal do DEM ao futuro governo a esse apoio.

Em entrevista à TV Record, Bolsonaro disse, ainda, que vai pedir ao presidente da Câmara que faça um esforço para aprovar a Medida Provisória (MP) que prevê a destinação de recursos de loterias federais para a Segurança Pública.

“Rodrigo tem seus interesses, eu tenho os meus. Nós não vamos interferir nas eleições para a mesa como um todo, até porque não nos reunimos com a bancada. Esse é o recado que vou por para Maia [no café da manhã que os dois tiveram em Brasília, na manhã desta quarta-feira]. Existem outros candidatos também, muito bons, se lançando”, disse Bolsonaro na entrevista à Record. “Vamos esperar a bancada, afinal de contas o presidente não pode se envolver diretamente nessa questão. Isso não é bom para o Brasil”, completou.

Os dois se encontraram nesta manhã por cerca de uma hora no Centro Cultural do Banco do Brasil em Brasília, onde se concentra a equipe do governo. Maia chegou por volta das 8h30 para um café e deixou o prédio cerca de uma hora depois. Bolsonaro acompanhou Maia até a saída, mas nenhum dos dois falou com a imprensa.

Segundo Bolsonaro, a aprovação da MP é um pedido de Sérgio Moro, que vai assumir o futuro Ministério da Justiça e Segurança Pública. “Se não aprovar, Moro começa sem recursos para fazer o que quer, que é o combate à corrupção e ao crime organizado”, disse o presidente eleito, que está em Brasília e se reunirá com Maia.

Além de novos recursos para a segurança pública, o encontro também deve tratar sobre a aprovação de novos gastos para o governo futuro, a exemplo do que aconteceu com o aumento para o Judiciário, aprovado na semana passada. “Temos que entender que estamos no mesmo barco”, disse Bolsonaro.

Na entrevista, Bolsonaro também disse que pode anunciar ainda nesta quarta (14/11) o escolhido para o Ministério das Relações Exteriores. “Talvez tenhamos aí um jovem ministro” para a pasta, disse o presidente eleito, informando que conversou duas vezes com o pretendente. Em entrevista à Rádio Eldorado, o vice-presidente eleito, General Mourão, colocou o secretário-geral das Relações Exteriores, Marcos Galvão, entre os possíveis indicados. Além dele, os embaixadores Luís Fernando de Andrade Serra e José Alfredo Graça Lima também são cotados para o cargo.

Questionado sobre a reunião dos governadores, que acontece nesta quarta em Brasília, Bolsonaro disse que ficou sabendo do encontro apenas “depois que a reunião já tinha sido marcada”, mas que irá participar. “Sei que eles têm suas demandas, vamos passar elas para a nossa equipe econômica. O que eles querem nós queremos”, avaliou.

Últimas notícias