Bolsonaro em ato pró-intervenção militar: “Não queremos negociar nada”

O mandatário do país convocou o povo para ir às ruas pelo "novo Brasil". O grupo pró-governo pedia o fechamento do Congresso e do STF

atualizado 19/04/2020 18:27

Jair BolsonaroRafaela Felicciano/Metrópoles

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), disse a apoiadores, neste domingo (19/04), que os poderes Legislativo, Executivo e Judiciário precisam compreender que são submissos ao povo brasileiro. O titular do Palácio do Planalto se encontrou com manifestantes pró-governo na Praça Duque de Caxias, no Setor Militar Urbano, em Brasília.

“Todos no Brasil têm de entender que estão submissos à vontade do povo”, enfatizou o mandatário do país. “Contem com seu presidente para que a gente possa manter nossa democracia e nossa liberdade. Todos falaram que dariam a vida pelo Brasil, agora é a hora”, completou.

O discurso de Bolsonaro foi feito logo após gritos de manifestantes que pediam o impeachment do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM/RJ). Durante o pronunciamento, o chefe do Executivo, que não usava máscara, tossiu várias vezes.

“Estou aqui porque acredito em vocês. Vocês estão aqui porque acreditam no Brasil. Nós não queremos negociar nada, queremos ação pelo Brasil. Nós temos um novo Brasil. Tem que ser patriota, acreditar e fazer sua parte. Acabou a época da patifaria, agora é o povo no poder”, ressaltou. O discurso de Bolsonaro, feito de cima de uma camionete, começou após gritos de “AI-5” e “intervenção militar”.

Veja vídeo de Bolsonaro discursando:

 

Ver essa foto no Instagram

 

Neste domingo (19), o presidente Jair Bolsonaro se reuniu com centenas de manifestantes em frente ao Quartel General do Exército, em Brasília. Os apoiadores pediam por intervenção militar, pelo fechamento do congresso e pelo retorno do Ato Institucional número 5, decreto que inaugurou o período mais sombrio da ditadura. De cima de uma caminhonete, Bolsonaro discursou aos presentes. . “Todos no Brasil têm de entender que estão submissos à vontade do povo”, enfatizou o mandatário do país. “Contem com seu presidente para que a gente possa manter nossa democracia e nossa liberdade. Todos falaram que dariam a vida pelo Brasil, agora é a hora”, completou. . “Nós temos um novo Brasil. Tem que ser patriota, acreditar e fazer sua parte. Acabou a época da patifaria, agora é o povo no poder”, ressaltou. O discurso de Bolsonaro, feito de cima de uma camionete, começou após gritos de “AI-5” e “intervenção militar”.

Uma publicação compartilhada por Metrópoles (@metropolesdf) em

0

Antes do início da fala de Bolsonaro, os manifestantes pediam pelo fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF). Contrariando as orientações das autoridades de saúde, as pessoas se aglomeraram no SMU – alguns usavam máscaras. Neste domingo, comemora-se o Dia do Exército.

Veja o discurso completo:

Mais cedo, o grupo participou de uma carreata pedindo também a reabertura do comércio e o fim do isolamento social, estabelecidos em razão da pandemia do novo coronavírus.

Almoço com filhos

Bolsonaro deixou o Palácio da Alvorada na manhã deste domingo (19/04), por volta das 11h30, e foi para a 302 Norte.

O presidente almoçou com os filhos Renan, Carlos e Eduardo Bolsonaro e, depois, seguiu para a manifestação.

No sábado (18/04), o mandatário da República foi ao Palácio do Planalto, onde cumprimentou apoiadores que o aguardavam no local. Na ocasião, Bolsonaro disse que “70% da população brasileira vai ser contaminada” pela Covid-19.

Últimas notícias