Bolsonaro critica Argentina e reafirma que não vai interferir em preços

O presidente citou a crise de abastecimento no país vizinho ao falar dos altos preços do ovo e do arroz

atualizado 16/09/2020 11:03

Presidente e autoridades brasil fazem coletiva no alvorada para falar de economia do BrasilHugo Barreto/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a afirmar que não vai interferir para baratear preços dos alimentos no país e tomou como exemplo negativo de gestão a Argentina, país que vive uma crise de abastecimento devido a medidas tomadas pelo governo, diante da pandemia de coronavírus, que paralisaram a economia.

Ao conversar com apoiadores que o aguardavam na porta do Palácio da Alvorada, nesta quarta-feira (16/9), o próprio presidente citou a alta recente do preço do ovo, além do arroz.

“Aumentou o preço do ovo também, né. É a lei da oferta e da procura”, disse o presidente. “É igual o arroz. A partir de dezembro, começa uma colheita enorme aí”, reafirmou.

“Eu não posso interferir no mercado. Se interferir, o material some da prateleira”, observou Bolsonaro.

“Vou pedir para vocês darem uma olhadinha de como é que estão as coisas na Argentina.  Não vou fazer críticas à Argentina aqui, mas dá uma olhadinha lá”, aconselhou o presidente, alegando que a falta de produtos nos supermercado do país vizinho é consequência de “decisões erradas” tomadas pelo governo de Alberto Fernández.

0

 

 

Últimas notícias