Bolsonaro anuncia Ernesto Araújo para comandar Relações Exteriores

Presidente eleito confirmou o nome para assumir a pasta afirmando que o indicado é "diplomata há 29 anos e um brilhante intelectual"

atualizado 15/11/2018 15:10

Reprodução

O futuro chefe do Executivo, Jair Bolsonaro, indicou nesta quarta-feira (14/11) mais um nome para atuar em seu governo. O embaixador Ernesto Araújo ocupará o cargo no Ministério das Relações Exteriores. Por meio de seu perfil no Twitter, o presidente eleito afirmou que Araújo é “diplomata há 29 anos e um brilhante intelectual”.

“A política externa brasileira deve ser parte do momento de regeneração que o Brasil vive hoje. Informo a todos a indicação do embaixador Ernesto Araújo, diplomata há 29 anos e um brilhante intelectual, ao cargo de Ministro das Relações Exteriores”, disse Bolsonaro.

Venezuela
O novo ministro já se pronunciou, ao lado do presidente eleito. “Minha missão será garantir que nesse momento o Brasil tenha mais espaço, independente do país que nos relacionamos”, disse Araújo.

“Obviamente a missão dele é motivar o Itamaraty, incrementar negócios com o mundo todo, sem o viés ideológico. Eu venho acompanhando há muitos anos a questão da Venezuela, não podemos abandonar nossos irmãos, mas o governo federal não pode deixar que o governo de Roraima e Boa Vista resolva isso”, declarou Bolsonaro. “Eu teria tomado uma atitude sobre a Venezuela há muito tempo”, completou o presidente eleito após o anúncio do novo chanceler.

Araújo é diretor do Departamento dos Estados Unidos, Canadá e Assuntos Interamericanos do Itamaraty. Ele concorria ao cargo com outros nomes, entre eles, Marcos Galvão, atual secretário-geral das Relações Exteriores. Durante a campanha, o diplomata criou um blog defendendo as ideias do então candidato do PSL.

Blog contra o globalismo
Desde setembro, o embaixador Ernesto Araújo mantém um blog chamado “Metapolítica 17: contra o globalismo”, onde o diplomata ataca o PT, comenta a política nacional e defende o presidente eleito. Ele se coloca como escritor e afirma que deseja “ajudar o Brasil e o mundo a se libertarem da ideologia globalista”. Em outro trecho, exalta a “fé em Cristo” e diz que seu projeto “significa, essencialmente, abrir-se para a presença de Deus na política e na história”.

No blog, Araújo relembra sua infância e diz que atualmente as escolas entregam “livros sobre sexo” para as crianças. Também exibe tom nacionalista em suas publicações. “O remédio é voltar a querer grandeza. Encha o peito e diga: Brasil Grande e Forte”, escreve.

Ele também mostra alinhamento com o presidente norte-americano Donald Trump em artigo publicado: “O presidente Donald Trump propõe uma visão do Ocidente não baseada no capitalismo e na democracia liberal, mas na recuperação do passado simbólico, da história e da cultura das nações ocidentais. O Brasil necessita refletir e definir se faz parte desse Ocidente”, diz. (Com informações da Agência Estado)

Últimas notícias