Auxílio de R$ 600: CGU diz ter feito alerta contra antecipação

Chefe do órgão de controle do governo federal alegou que não havia dados suficientes sobre o dinheiro necessário para antecipar 2ª parcela

atualizado 23/04/2020 18:14

O ministro Wagner Rosário, da Controladoria-Geral da União (CGU), disse nesta quinta-feira (23/04) que alertou o governo sobre a antecipação da segunda parcela do auxílio emergencial de R$ 600, destinada a trabalhadores informais, autônomos e vulneráveis atingidos em cheio pela crise do coronavírus.

A antecipação da segunda parcela foi anunciada pelo governo no início da semana. Nessa quarta (22/04), no entanto, o Ministério da Cidadania voltou atrás na decisão, alegando que não havia dinheiro suficiente para cobrir a segunda parcela neste momento, enquanto muitas pessoas com direito ao benefício nem sequer haviam recebido a primeira.

No comunicado, a pasta afirmou que, com a antecipação, seria portanto necessário um crédito suplementar para poder atender a todos os beneficiários.

“Alertamos para não pagar a segunda parcela antes de verificar que o primeiro [pagamento] foi encerrado e o quanto necessitaria de incremento para cobrir valores. ‘Preciso ver se tenho recursos para isso'”, disse Wagner Rosário durante coletiva à imprensa, no Palácio do Planalto.

“Nossa medida não é em relação à corrupção, mas na dotação orçamentária. O governo tá correndo para equacionar isso daí. O que tivemos foi um cuidado adicional. Estamos trabalhando com o Ministério da Cidadania, Caixa e Dataprev para resolver rápido o problema”, acrescentou.

Mais cedo, nesta quinta, o presidente Jair Bolsonaro afirmou, em comentário nas redes sociais, que não aprovou a antecipação do pagamento do auxílio.

“Nada foi cancelado. Um ministro anunciou, sem estar autorizado, que iria antecipar a segunda parcela. Primeiro se deve pagar a todos a primeira parcela, depois o dinheiro depende de crédito suplementar já que ultrapassou quase 10 milhões o número de requerentes. Tudo será pago no planejado pela Caixa”, disse Bolsonaro, em resposta a uma seguidora que questionava o “cancelamento do auxílio”.

Pelo calendário de antecipação, agora sem vigor, o pagamento da segunda parcela começaria nesta quinta, se estendendo até a próxima quarta-feira (29/04), de acordo com o mês de nascimento do beneficiário.

Pelo coronograma original, a segunda parcela está prevista para ser paga entre os dias 27 e 29 de abril.

Últimas notícias