Após acordo entre PSL e Maia, PT descarta apoio ao Democrata

Segundo o líder do Partido dos Trabalhadores, a sigla tenta montar frente única de oposição

atualizado 03/01/2019 17:17

Liderança do PT/CD

Depois que o PSL, de Jair Bolsonaro, declarou apoio à candidatura de Rodrigo Maia (DEM-RJ) para presidente da Câmara, o Partido dos Trabalhadores decidiu retirar o endosso à candidatura do deputado carioca. Segundo o líder do partido, Paulo Pimenta (PT-RS), o PT não vai dar suporte a uma candidatura que esteja alinhada ao pensamento de Bolsonaro.

“É evidente que estaremos contra aqueles deputados que estiverem assumindo compromisso com o governo”, disse o líder.

Pimenta contou que, em oposição a Maia, o PT trabalha pela formação de uma frente de oposição envolvendo PSol, PDT e PCdoB. Questionado sobre as declarações do deputado do Orlando Silva (PCdoB-SP), de que não haverá uma candidatura única da oposição, Pimenta limitou-se a dizer que o comunista responde pelas suas considerações.

 

Maia
Presidente da Câmara e candidato à reeleição, Rodrigo Maia recebeu o apoio do PSL na última quarta-feira (2/1). A bancada do partido conta com 52 deputados.

Nesta quinta-feira (3/1), foi a vez de o PPS apoiar o pleito do democrata. A sigla elegeu apenas oito parlamentares. O PSDB, com 29, também deve apoiar a candidatura do atual presidente. O DEM, de Maia, tem 29.

 

Últimas notícias