Alcolumbre quer retomar sessões presenciais do Senado em junho

Presidente da Casa afirmou que, "se tiver cobertura" técnica da Saúde, pode determinar a volta das deliberações no plenário

atualizado 27/04/2020 20:36

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), declarou, nesta segunda-feira (27/04), que pretende retomar as atividades presenciais da Casa a partir de junho. “Lógico que não depende de uma decisão exclusiva minha – eu tenho a intenção. Mas  desejo é que a gente retorne o mais rápido possível para deliberação no Plenário, voltando as comissões, com todo o rigor”, afirmou ele.

Desde a decretação de estado de calamidade pública por causa do novo coronavírus, o Senado e a Câmara dos Deputados conduzem as votações por deliberação remota.

Segundo o democrata, a ideia é que essa retomada envolva a mudança de algumas regras de funcionamento interno da Casa, com a proibição, por exemplo da presença de assessores parlamentares e servidores no Plenário. “Tira aquele pessoal do cafezinho, acho que 40, 50, 55 senadores em uma sessão a gente vai cumprir a regra de distanciamento e vai dar pra trabalhar.”

Os parlamentares que têm mais de 65 anos e que, portanto, integram o grupo de risco da Covid-19, ficariam liberados de comparecer presencialmente. Eles estão amparados por atos do presidente do Senado que instituíram medidas de contenção da disseminação do coronavírus na Casa – entre elas, a dispensa de senadores e servidores com idade superior a esta, bem como de gestantes, imunodeprimidos ou portadores de doenças crônicas.

Alcolumbre se baseou em estimativas de que o pico da doença no Brasil se dará na segunda quinzena de maio e previu que, em junho, “a gente vai ter uma fotografia dos acontecimentos da pandemia no Brasil”. “Não sei como se dará a ampliação desta doença; sei que há, por parte de alguns técnicos, especialistas, médicos, um cronograma do ápice entre dia 15 e 20 de maio.”

“Se nós conseguirmos avançar e o Estado conseguir consolidar essas ajudas nos hospitais, na aquisição de EPIs (equipamentos de proteção individual, para trabalhadores da Saúde) e respiradores, e a gente tiver uma cobertura, minha intenção é retomar as deliberações”, pontuou.

Mais lidas
Últimas notícias