“Sou pessoalmente contra”, diz Alcolumbre sobre CPMF

O presidente do Senado admitiu que tem ouvido integrantes do Ministério da Economia se manifestarem pela criação do “novo" imposto

Roque de Sá/Agência SenadoRoque de Sá/Agência Senado

atualizado 11/09/2019 16:48

O presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP), disse nesta quarta-feira (11/09/2019) que é “pessoalmente contrário” à recriação da Contribuição Provisória Sobre Movimentação Financeira (CPMF) ou de um imposto com as mesmas características.

As manifestações contrárias à volta do imposto surgiram depois de declarações de fontes do governo federal, que, embora não tenha enviado ainda uma proposta oficial ao Congresso Nacional, já antecipou alguns dispositivos que estariam incluídos no projeto.

“Quando ela [CPMF] existia, eu votei para acabar com ela. Na minha biografia política, sempre trabalhei contrário à elevação de impostos na vida das pessoas. Os brasileiros já pagam muitos encargos”, justificou Alcolumbre.

O presidente do Senado admitiu que “naturalmente” tem ouvido integrantes do Ministério da Economia se manifestarem pela criação do “novo” imposto, que não deve ter o mesmo nome da CPMF, mas funcionaria de uma maneira similar a ela na prática.

“Minha posição é que [incluir a CPMF] não é possível. Os brasileiros não aguentam mais pagar imposto. [Mas] não tenho a informação de como ela se dará”, explicou Alcolumbre. O senador afirmou que vai se reunir com o relator da proposta na Casa, Roberto Rocha (PSDB-MA), para decidir se esperam uma proposta oficial do governo ou se mantêm a tramitação do texto “independente”.

Últimas notícias