Senadora Selma Arruda deixa o PSL e se filia ao Podemos nesta 4ª

A senadora pelo Mato Grosso alega que está se desligando do partido do presidente Jair Bolsonaro por divergências políticas

Pedro França/Agência SenadoPedro França/Agência Senado

atualizado 17/09/2019 17:16

A senadora Juíza Selma Arruda se filiará ao partido Podemos nesta quarta-feira (18/09/2019), em Brasília. A assinatura do termo de filiação será realizada durante um almoço com as principais lideranças do partido. O anúncio oficial será feito em seguida, às 14 horas, em uma coletiva de imprensa no Salão Azul no Senado Federal.

A senadora pelo Mato Grosso está se desligando do Partido Social Liberal (PSL), do presidente Jair Bolsonaro, por divergências políticas – reclama de que a sigla não a defendeu com veemência no processo em que é acusada de abuso de poder econômico e caixa 2. “Mantenho meus princípios de magistrada e de pessoa que preza pelo combate à corrupção”, afirmou Selma.

Apesar de deixar o partido do presidente Jair Bolsonaro, a senadora reafirma que deverá se manter na base de sustentação do governo. “O fato de ingressar no Podemos me traz para um ambiente onde eu possa ser mais acolhida, onde eu me sinta mais independente para construir um Brasil melhor para todos”, discursa.

A apresentação da parlamentar aos membros do partido em Mato Grosso ainda aguarda agenda dos senadores da sigla.

 Cassação
A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, emitiu em 9 de setembro um parecer no qual defendia a cassação imediata do mandato da senadora e a realização de novas eleições em Mato Grosso para preencher a vaga.

O Tribunal Regional Eleitoral do Mato Grosso (TRE-MT) havia cassado o mandato da senadora por abuso de poder econômico e caixa 2. Na ocasião, a decisão foi unânime, por 7 a 0. Selma recorreu da cassação da chapa (incluindo os dois suplentes) e aguarda o julgamento da apelação.

Últimas notícias