Roda Viva: “Bolsonaro não é risco à democracia”, diz Bruno Covas

Para o prefeito de São Paulo, que não esconde as críticas ao presidente, as "instituições estão muito fortes"

Foto: Reprodução/ Andre Borges/Esp. MetrópolesFoto: Reprodução/ Andre Borges/Esp. Metrópoles

atualizado 28/01/2020 0:03

Neto do ex-governador de São Paulo Mário Covas, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), afirmou, nesta segunda-feira (27/01/2020), que não poderia votar em alguém que “diz que não houve ditadura”, em referência ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A declaração foi feita em entrevista no Roda Viva, da TV Cultura: “Meu avô foi perseguido e teve seu mandato cassado”, pontuou o prefeito.

Bruno disse ainda que a visão de mundo de Bolsonaro é a mesma que ele sempre manteve e que não se pode dizer que o presidente enganou a população. “É aquilo que ele sempre falou a vida inteira dele, não está sendo uma pessoa diferente. E foi por isso que eu não votei nele”, declarou.

Perguntado se ele avalia Bolsonaro como um risco à democracia, contudo, Bruno disse que não. “Acho que não (coloca em risco). As instituições estão muito fortes”, opinou.

Pré-candidato à reeleição, Covas afirmou que houve diminuição de recursos federais para São Paulo, mas negou que haja “retaliação”. “O que eu tenho visto é que não é nada com a cidade de São Paulo, não tenho como dizer que estou sendo retaliado.”

Últimas notícias