O senador Renan Calheiros (MDB-AL) ironizou nesta sexta-feira (25/1), no Twitter, as declarações de sua adversária na corrida pela presidência do Senado, a senadora Simone Tebet (MDB-MS). Apesar de dizer que não é candidato oficialmente, Renan cutucou a colega ao questionar a afirmação de que ela teria o apoio da cúpula do partido, o MDB.

“A declaração de Simone Tebet de que ‘a cúpula do MDB a apoia’ levou-me à inevitável reflexão: Moreira Franco, João Henrique, Eliseu Padilha e Eunício Oliveira não apoiam”, escreveu. “Michel Temer e Romero Jucá disseram-me que não apostam na divisão. Deve ser o apoio do Eduardo Cunha – através de Carlos Marun (agora no Paraná, na Itaipu) – principal estrategista desse empreendimento”, publicou (veja abaixo a sequência de postagens).

Queda de braço
Renan e Simone tem travado uma disputa nos bastidores pela maioria dos votos do MDB, que tem 13 senadores atualmente. A partir da próxima terça-feira (29) a bancada deve se reunir para decidir se vai indicar a senadora do Mato Grosso do Sul ou o alagoano para concorrer à presidência da Casa.

Simone Tebet (MDB-MS) tem adotado um discurso de renovação e autocrítica no partido. Nas palavras dela, o MDB precisa ter a “humildade” de dizer que errou e deixar o fisiologismo para trás. A emedebista promete, por exemplo, que vai apoiar o voto aberto na eleição para presidente do Senado, considerado o “calcanhar de Aquiles” de Renan.