Relator da Previdência garante que não há outro texto a ser analisado

A declaração foi dada pelo deputado Samuel Moreira, após uma reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes

Pablo Valadares/Câmara dos DeputadosPablo Valadares/Câmara dos Deputados

atualizado 20/05/2019 15:54

O relator da reforma da Previdência, Samuel Moreira (PSDB-SP), disse nesta segunda-feira (20/05/2019) que trabalha em cima do projeto que o governo enviou. “Não há outro”, garantiu, em relação ao desejo de alguns parlamentares em elaborar um texto substitutivo. A declaração foi dada depois de uma reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes. Esse foi o primeiro encontro entre Moreira e a equipe econômica desde a sinalização dos deputados sobre um novo projeto.

“Temos que ter o governo junto, é evidente. Temos a liderança do presidente da Câmara, que tem competência para isso e precisamos resolver esse assunto”, acrescentou. Guedes, por sua vez, se mostrou otimista com a economia final de R$ 1 trilhão em 10 anos, mesmo com as eventuais mudanças no Parlamento.

“Estamos confiantes no trabalho do relator e do Congresso e otimistas quanto ao compromisso de conseguir aprovar a reforma com a potência fiscal necessária para desbloquear o horizonte de investimentos no Brasil e conseguir estabilidade fiscal”, disse o ministro.

Desde o último domingo (19/05/2019), o relator tem se encontrado com integrantes do governo para tratar de ajustes no texto da reforma. O deputado é o responsável por fazer o parecer do projeto a ser votado pela Comissão Especial da Câmara dos Deputados e chegará ao plenário para análise.

A expectativa de Moreira é entregar o relatório final da reforma em 15 dias, assim que encerrar o período de audiências públicas na Comissão Especial. “Meu relatório não está pronto, ainda estou ouvindo. Preciso analisar as emendas dos deputados, ouvir as lideranças, inclusive da oposição”, explicou o relator.

O objetivo do governo é concentrar no relatório pontos do texto que mantenham a economia de R$ 1 trilhão em 10 anos. Parlamentares, contudo, já contestam alguns trechos que podem diminuir esse valor, como o sistema de capitalização, o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e as regras da aposentadoria rural.

Além do ministro, participaram do encontro com o relator o secretário executivo do Ministério da Economia, Marcelo Guaranys, o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, o secretário adjunto de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco, o secretário de Previdência, Leonardo Rolim, e os assessores Daniella Marques, Marcelo Siqueira, Bruno Travassos, Vitor Saback e o assessor especial de Guedes, Guilherme Afif Domingos.

Últimas notícias