Previdência: Maia e equipe econômica ainda estudam custo de destaques

Líder do MDB, Baleia Rossi, afirma que preocupação agora é não comprometer a vitória no texto-base e manter impacto financeiro robusto

TIAGO QUEIROZ/Agência EstadoTIAGO QUEIROZ/Agência Estado

atualizado 11/07/2019 17:51

O líder do MDB na Câmara, Baleia Rossi (SP), disse que as lideranças partidárias, com a equipe econômica e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), estão estudando os impactos dos destaques apresentados para a reforma da Previdência antes de começar a sessão do plenário desta quinta-feira (11/07/2019).

“Uma série de pontos que estamos conversando, tendo em vista que não queremos desidratar a reforma. Estamos buscando meios de fazer o entendimento sem comprometer a grande vitória de ontem”, disse. Ele afirmou que “estão estudando” ainda um acordo com o texto apresentado pelo PSB, que diminui de 20 para 15 anos o tempo mínimo de contribuição para homens.

O deputado informou ainda que o acordo “está praticamente fechado” um acordo para a votação do destaque que prevê mudanças nas regras de transição dos professores, apresentado pelo PDT. Além desse texto, há um consenso em torno das emendas envolvendo policiais federais, rodoviários, legislativos, agentes penitenciários e agentes socioeducativos e de uma proposição da bancada feminina, que altera os cálculos para a concessão de benefícios para as mulheres.

A sessão desta quinta ainda não começou. Tinha sido marcada para as 9h, mas foi suspensa. Maia mantém conversas com os líderes, com o secretário da Previdência, Rogério Marinho, e com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, desde o início da tarde para tentar um entendimento em relação às emendas dos deputados.

Últimas notícias