*
 

O Sindicato dos Delegados de Polícia Federal do Estado de São Paulo (Sindfp-SP) manifestou nesta terça-feira (10/7) apoio aos delegados da PF no Paraná. A instituição em Curitiba não cumpriu a ordem para soltar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sob alegação de que estava à espera de uma definição sobre a liberdade ou a manutenção da prisão. Lideranças do PT acusam os policiais federais de “desobediência” e “descumprimento” da ordem do desembargador Rogério Favreto.

Conforme afirmou o sindicato, por meio de nota, a corporação “é uma polícia de Estado” que “não tem cor nem partido” e exerce “seu papel constitucional com equilíbrio, moderação e responsabilidade”. No mesmo comunicado, os policiais federais de São Paulo elogiam os colegas do Paraná “pela cautela e prudência na atuação quando do recebimento de alvará de soltura” do ex-chefe do Executivo nacional.

Ao justificar a ordem para soltar Lula, Favreto afirmou que amparou sua decisão em “fato novo”. Segundo o magistrado, a “condição de pré-candidato do petista estava “exaustivamente fundamentada”. O ex-presidente está preso desde o dia 7 de abril na Superintendência da PF, em Curitiba. Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado pelo Tribunal da Lava Jato a 12 anos e 1 mês de reclusão por corrupção e lavagem de dinheiro no caso triplex de Guarujá (SP).