Para Onyx, é “cultura do Parlamento” reclamar do Executivo

Ministro diz ter pedido paciência ao presidente da CCJ, depois que partidos do centrão se aliaram à oposição e impuseram derrota ao governo

Sidney Lins Jr./DemocratasSidney Lins Jr./Democratas

atualizado 16/04/2019 16:30

Depois de o governo ter amargado mais uma derrota na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, nessa segunda-feira (15/04/19), quando centrão e oposição conseguiram impor a discussão do orçamento impositivo antes da análise da reforma da Previdência, o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzzoni (DEM-RS), disse, nesta terça (16/04/19), que conversou com o presidente da comissão, Felipe Francischini (PSL-PR), e que acredita que, a partir de agora, as coisas vão melhorar na Câmara.

“As coisas vão caminhar bem. Falei com Francischini. Tem que ter um pouquinho de paciência”, comentou o ministro, ao chegar a uma reunião de seu partido no Senado. “A gente tem que entender que o Parlamento tem seu tempo”, minimizou.

Onyx disse que o governo tem se empenhado no diálogo com as bancadas partidárias, mas apontou como obstáculo à formação da base na Câmara o que chamou de “cultura do Parlamento de reclamar do Executivo”.

Reclamações
“Sou parlamentar há 17 anos, nunca nomeei um cargo público sequer e sempre ouvi as mesmas reclamações. Faz parte da cultura do Parlamento brasileiro reclamar do Poder Executivo. Agora, nós temos que ter respeito, paciência e diálogo e é o que a gente tem tido”, destacou.

O ministro evitou fazer um prognóstico sobre o tempo de votar a constitucionalidade do texto da reforma da Previdência na CCJ. “Se for esta semana, ótimo. Se for na terça que vem, está perfeito”, considerou.

Últimas notícias