Onyx diz que governo espera cortar mais 25 mil comissionados

Presidente Jair Bolsonaro (PSL) editou mais um decreto com critérios para nomeações em cargos públicos

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 18/07/2019 23:27

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse que o governo pretende cortar mais 25 mil cargos comissionados no prazo de 100 dias. A afirmação foi feita após a cerimônia de comemoração de 200 dias de governo, no Palácio do Planalto, na tarde desta quinta-feira (18/07/2019).

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) publicou, nesta tarde, um decreto com critérios para nomeações em cargos públicos, como idoneidade moral e reputação “ilibada”, perfil profissional adequado às suas funções e estar dentro da lei. 

No mês de maio, o governo editou um decreto que instituiu o Sistema Integrado de Nomeações e Consultas, conhecido como “banco de talentos”, para a ocupação de vagas na administração federal.

“A medida é de caráter geral. O banco de talentos continua existindo. O que nós estamos trabalhando e o que a gente espera, lá nos 300 dias [de governo], anunciar é mais 25 mil cargos em comissão cortados. Já cortamos 21 mil, vamos caminhar para os 25 mil”, declarou. 

Lorenzoni disse que, nas universidades e institutos federais, há cerca de 60 mil comissionados e que o Partido dos Trabalhadores (PT) “aparelhou convenientemente” as instituições.

“Onde o que menos importa é a qualidade, e o que mais importa são as ações políticas. Vocês acham que as ações políticas feitas na área estudantil vêm de onde? Temos clareza sobre isso. Com zelo, respeito e critério, nós vamos enxugar bem enxugado”, finalizou.

O governo acredita que, seguindo as restrições do novo decreto, evitam-se indicações que ferem princípios de impessoalidade, moralidade e eficiência.

Últimas notícias