Onyx Lorenzoni anuncia exoneração de 320 comissionados: “Despetização”

Funcionários nomeados da Casa Civil perderão seus cargos. Objetivo é "tirar amarras ideológicas" da pasta

Edilson Rodrigues/Agência SenadoEdilson Rodrigues/Agência Senado

atualizado 03/01/2019 10:12

O ministro Onyx Lorenzoni anunciou, no fim da tarde desta quarta-feira (2/1), que irá exonerar todos os ocupantes de cargos de confiança e de funções gratificadas da Casa Civil. Segundo o ministro, a intenção é iniciar uma “despetização” da pasta, o que ajudaria o presidente Jair Bolsonaro (PSL) a governar “livre de amarras ideológicas”.

Pelos cálculos de Lorenzoni, ao todo 320 servidores comissionados perderão seus cargos. “Nós vamos assinar um ato fazendo a exoneração de todos aqueles que estão ocupando cargos em comissão e função gratificada. Nós todos sabemos do aparelhamento que foi feito nos quase 14 anos que o PT aqui ficou”, afirmou o ministro.

De acordo com o ministro, servidores comissionados “antigos e que tenham excelência” poderão continuar na pasta, desde que se apresentem e sejam avaliados pela chefia da Casa Civil. “Eles serão recebidos a partir de amanhã e serão reavaliados”, completou Lorenzoni.

Apenas os comissionados que trabalham na Imprensa Oficial e na SAJ (Subchefia para Assuntos Jurídicos) não serão submetidos ao pente-fino. “Nós somos um governo de perfil de centro-direita. Somos sim uma aliança, no geral, conservadora. Não tem fundamento ter alguém que é socialista, comunista, ou qualquer dessas outras coisas”, disse o ministro.

As exonerações serão publicadas na edição desta quinta-feira (3/1) do Diário Oficial da União (DOU). De acordo com Onyx, outros ministérios deverão seguir a mesma medida. Também nesta quinta, Bolsonaro terá a primeira reunião com os 22 ministros desde a posse.

“Nós vamos governar com aqueles que acreditam em nosso projeto, sem ter alguém aqui que tome uma atitude que possa colocar em risco o nosso governo”, disse Onyx sobre o pente-fino.

Últimas notícias