“NÃO!”, responde Bolsonaro a internauta que pediu maconha legal

Presidente contestou, no Twitter, perfil que sugeriu cobrança de imposto e distribuição da arrecadação a pessoas "de bem"

Reprodução/PCDFReprodução/PCDF

atualizado 29/08/2019 18:11

Em meio a uma disputa com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que faz consultas públicas sobre a liberação do plantio de maconha por empresas para produção de remédios, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) foi direto ao responder, pelo Twitter, a um usuário que pediu a legalização total da droga, não apenas para uso medicinal: “NÃO!”, respondeu o perfil presidencial, em maiúsculas mesmo.

A mensagem original pedia que os impostos gerados pela legalização fossem distribuídos para a população. “Seria como se a gente colocasse drogados para sustentar as famílias de bem”, escreveu o internauta. A interação aconteceu no início da tarde desta quinta-feira (29/08/2019).

A diretoria da Anvisa aprovou por unanimidade, em 11 de junho, levar a consultas públicas as regras para o plantio de maconha apenas para empresas responsáveis pela produção de remédios, e outra para registro dos produtos que devem ser fabricados durante o processo. O governo se posicionou contra e defendeu que os elementos medicinais da erva que possam ser usados em remédios sejam importados.

Últimas notícias