Mourão se reúne com presidente do Instituto Hospital de Base do DF

Ismael Alexandrino apresentou modelo de gestão do IHB à equipe de transição de Jair Bolsonaro (PSL). Diretor é cotado para ministério

DivulgaçãoDivulgação

atualizado 19/11/2018 19:31

O diretor-presidente do Instituto Hospital de Base (IHBDF), Ismael Alexandrino, esteve nesta segunda-feira (19/11) com o próximo vice-presidente da República, general Hamilton Mourão (PRTB). O gestor contou que havia uma expectativa da equipe de Jair Bolsonaro (PSL) para saber como funciona a administração da unidade.

“A área federal da saúde vê com bons olhos a gestão do IHB como um modelo alternativo de sustentabilidade do SUS. Havia essa ansiedade mútua de conversar”, contou. Ismael disse que o grupo do presidente eleito está interessado em uma administração “técnica, efetiva e que olhe para resultados baseados em metas”. 

Ismael foi ao encontro acompanhado do superintende de administração do IHBDF, general Manoel Luiz Narvaz Pafiadache. Eles também visitaram o coronel Luiz Blumm, coordenador da área de Saúde do governo de transição, que deverá visitar o instituto na próxima semana. Também há previsão do diretor-presidente se encontrar com Bolsonaro.

Pafiadache tem bom trânsito com o futuro ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, além de outros militares ligados à área de Saúde. Ele passou pela Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), assim como Bolsonaro, Mourão e o general Augusto Heleno, futuro chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI).

Ministro da Saúde
Fontes ligadas ao governo de transição de Bolsonaro revelaram ao Metrópoles que Ismael é cotado para ser ministro da Saúde. O diretor-presidente também integrou as Forças Armadas: é primeiro-tenente médico da reserva não remunerada da Marinha. Ele trabalhou no Hospital Naval de Brasília.

Sobre a possibilidade de ir para a administração federal, Ismael desconversou, mas admitiu que há diálogo. “A gente acaba conversando sobre tudo isso no âmbito do gabinete. Na verdade, nos colocamos para ajudar o SUS, independentemente de cargo. Não tenho aspiração”, afirmou.

O Instituto Hospital de Base tem personalidade jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, de interesse coletivo e de utilidade pública. A entidade é gerida por um conselho de administração, formado por 11 integrantes, e tem como presidente nato o secretário de Saúde. A mudança permite ao hospital sair das amarras impostas pela Lei de Licitações (8.666), principalmente sobre regras de contratação de servidores públicos.

Conversas
Enquanto os laços se estreitam no âmbito federal, no nível distrital ainda há distanciamento. O governador eleito Ibaneis Rocha (MDB) levantou dúvidas sobre a efetividade da unidade e chegou a dizer que irá acabar com o IHBDF se não houver seleção pública para contratação de pessoas e licitação para as compras. O hospital transformou-se em instituto na gestão de Rodrigo Rollemberg (PSB).

Ismael acredita que conseguirá fazer Ibaneis desistir da ideia. “Ainda não conversamos. Quando apresentarmos o projeto ele vai querer manter”, aposta Alexandrino. O gestor disse ter enviado um ofício para Ibaneis na quarta-feira (14), colocando-se à disposição para detalhar como funciona o instituto.

Últimas notícias