Mourão critica acordo de governadores do PT que levou PMs ao Ceará

Rui Costa, da Bahia, emprestou policiais ao estado vizinho. Vice-presidente acusa ação do petista de ser marketing

Foto: Rafaela Felicciano/MetrópolesFoto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 19/01/2019 22:10

Um acordo fechado entre os governadores petistas Rui Costa (BA) e Camilo Santana (CE) mantém desde o dia 5 de janeiro um contingente de cerca de 100 policiais militares baianos no Ceará. Eles ajudam a controlar a crise na área de segurança pública em território cearense, que vem sofrendo constantes ataques autorizados por criminosos que estão presos. No entanto, ação foi alvo de críticas do vice-presidente da República, Antônio Hamilton Mourão (PRTB), e irritou militares das Forças Armadas. A informação é do Uol.

Para os críticos da parceria, o empréstimo de policiais não deveria ter sido feito sem o intermédio do governo federal. Eles também criticam supostos objetivos políticos na medida adotada pelos dois políticos do PT. “No meio de uma crise dessa natureza, o governador da Bahia mandar cem policiais para o Ceará é igual a tapar um buraco com uma pedrinha. Foi mais uma jogada de marketing”, disse o vice-presidente, em entrevista por telefone ao UOL.

Para outros militares ouvidos pela reportagem, a medida pode abrir precedentes para propostas de formação de forças regionais militarizadas, que não estão previstas na Constituição. O Exército não se pronunciou de forma oficial.

Procurado, o governo da Bahia negou intenções políticas e disse que a ação segue “o preceito de mútua cooperação entre os entes federados, [que é] contemplado na Constituição”. O estado também disse que o empréstimo de policiais visa combater quadrilhas interestaduais que podem prejudicar o os baianos.

Últimas notícias