Moro diz que Bolsonaro terá de vetar trechos de abuso de autoridade

Declaração foi dada a deputados em jantar reservado. O ministro da Justiça criticou o texto aprovado nessa quarta-feira na Câmara federal

Hugo Barreto/ MetrópolesHugo Barreto/ Metrópoles

atualizado 15/08/2019 15:30

O ministro da Justiça, Sergio Moro, jantou na noite de quarta-feira (14/08/2019) com um grupo de parlamentares, depois de a Câmara dos Deputas aprovar o projeto de abuso de autoridade. O ex-juiz da Lava Jato criticou o texto e disse que o presidente terá de vetar alguns itens.

Em conversas reservadas, Moro destacou que acompanhou a votação pela TV e que a redação do projeto estava ruim em alguns trechos, como o que considera abuso a utilização de algemas, quando não houver resistência à prisão.

O expediente, utilizado em diversas detenções na Lava Jato, foi alvo de críticas por ser considerado excessivo. Governistas defendem que esse e outros artigos criminalizam a atividade policial.

Além dos deputados e de Moro, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e o presidente do DEM, ACM Neto, também estiveram presentes no jantar na casa de João Roma (PRB-BA).

Últimas notícias