Marinho: após mudanças, economia da Previdência deve ser de R$ 900 bi

Secretário de Previdência do Ministério da Economia, contudo, afirma que cálculos só estarão concluídos em "cinco ou seis dias"

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 12/07/2019 22:04

O secretário de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, disse na noite desta sexta-feira (12/07/2019) que o impacto fiscal da reforma da Previdência já com os destaques aprovados em primeiro turno no plenário da Câmara dos Deputados está estimado hoje em aproximadamente R$ 900 bilhões.

O número final, entretanto, só estará fechado nos próximos cinco, seis dias, estimou o ex-deputado. A previsão inicial do governo na proposta original ultrapassava  R$ 1 trilhão.

“A equipe começará agora à noite a refinar esses cálculos. Nossos atuários vão trabalhar hoje e amanhã. O ministro [da Economia] Paulo Guedes me recomenda que o mais breve possível nós tenhamos esse número. A ideia é que nos próximos cinco, seis dias, tenhamos esses números”, explicou.

Questionado sobre o impacto real das mudanças, Marinho disse que ainda não tem uma estimativa. “A estimativa que fazemos aqui é baseada nos números apresentados no início do projeto e depois na aprovação da comissão. Imaginamos algo entre R$ 50 bilhões e R$ 70 bilhões”, acrescentou.

Últimas notícias