Governo quer reformar regras de saque do FGTS e aumentar rentabilidade

De acordo com o secretário da Fazenda, o Executivo está elaborando mudanças nos 228 fundos públicos que existem no país

FLÁVIO TAVARES/HOJE EM DIA/ESTADÃO CONTEÚDOFLÁVIO TAVARES/HOJE EM DIA/ESTADÃO CONTEÚDO

atualizado 09/05/2019 14:32

O secretário da Fazenda, Waldery Rodrigues Júnior, afirmou nesta quarta-feira (09/05/2019) que o governo vai elevar a rentabilidade do Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS) e mudar regras para o saque dos benefícios. As medidas estão sendo elaboradas e devem ser publicadas “em um futuro próximo”, disse Rodrigues Júnior. A informação é do jornal O Globo.

“O FGTS vai sofrer reformatações, incluindo mudanças em sua governança, gestão e rentabilidade. Hoje, a rentabilidade é de 3% ao ano mais taxa referencial (que hoje está zerada). Logo, em termos reais, descontada a inflação, ela é negativa, funciona como um imposto sobre o cidadão”, pontuou o secretário.

De acordo com Rodrigues Júnior, o governo está elaborando mudanças nos 228 fundos públicos que existem hoje no país “para dar a eles maior eficiência locativa”. “Mas o FGTS é um fundo com mais de R$ 500 bilhões em estoque. Então mudanças serão estudadas de forma super cautelosa”, acrescentou.

“O recurso é do cidadão por toda a vida. A pessoa não terá prazo para sacar. Vamos fazer uma campanha para que esse dinheiro não fique parado. Essas medidas fazem parte de um pacote que visa a dar ao cidadão acesso aos seus recursos”, finalizou o secretário.

Últimas notícias