Governo Bolsonaro cede e admite criar dois novos ministérios

Desenvolvimento Regional deverá ser dividido nas pastas das Cidades e da Integração Nacional, para serem entregues a políticos

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 07/05/2019 18:52

O governo de Jair Bolsonaro (PSL) cedeu e concordou com o desmembramento do Ministério do Desenvolvimento Regional em duas pastas. A informação foi dada nesta terça-feira (07/05/2019) pelo relator da medida provisória (MP) da reforma administrativa, o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE). No lugar, serão criados os ministérios das Cidades e da Integração Nacional.

Segundo a Folha de S.Paulo, Bezerra Coelho afirmou que o tema foi debatido na manhã desta terça com o presidente Bolsonaro e o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. “Ficou decidido que o Ministério do Desenvolvimento Regional vai ser desmembrado, e vai ser recriado o Ministério das Cidades e o Ministério da Integração Nacional”, disse ao deixar uma reunião com Paulo Guedes.

Atualmente, o ministro da pasta é o ex-secretário-executivo do Ministério da Integração Nacional Gustavo Henrique Rigodanzo Canuto. Os partidos que devem comandar as duas novas pastas ainda não foram definidos, segundo o articulador ouvido pela Folha.

Outro ponto que Bezerra Coelho pretende que seja aprovado é a autonomia do Banco Central. Assim, o órgão perderia o status ministerial, mantendo-se as 22 pastas apresentadas no início do governo.

A decisão de desmembrar o ministério favorece a aprovação da MP da reforma administrativa, na comissão especial do Congresso. Bezerra Coelho apresentará o relatório da MP 870 nesta terça-feira. Dois dos pontos mais polêmicos são o fim do Ministério do Trabalho e a transferência da Cultura para o Ministério da Cidadania.

Últimas notícias