Ernesto Araújo vai acompanhar ajuda humanitária na fronteira

O ministro estará em Bogotá na segunda-feira (25) acompanhando o vice-presidente Hamilton Mourão na reunião do Grupo de Lima

Rafael Carvalho/Governo de transiçãoRafael Carvalho/Governo de transição

atualizado 21/02/2019 20:55

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, anunciou em seu Twitter que, por determinação do presidente Jair Bolsonaro, embarca nesta sexta-feira (22/2) para a Cúcuta, na Colômbia, na fronteira com a Venezuela, “para participar de evento em torno da ajuda humanitária ao povo venezuelano, organizado pelo Presidente Iván Duque, com a presença de autoridades de outros países da região”.

Araújo avisou ainda que, no sábado (23) estará em Roraima para acompanhar a ajuda humanitária colocada à disposição do povo venezuelano pelo Brasil em cooperação com os EUA.

O sábado está sendo considerado o “dia D” neste processo de tentativa de ajuda à Venezuela. Neste dia, Juan Guaidó, que se autoproclamou presidente interino da Venezuela, marcou como a data de entrada de ajuda humanitária estrangeira no país. Segundo o líder da oposição, as doações chegarão por dois pontos: a cidade de Cúcuta, na Colômbia, e Roraima, no Brasil. No entanto, com a fronteira fechada, isso pode não acontecer e o clima, do lado de lá, ficar mais complicado.

O ministro Ernesto Araújo avisou ainda, por meio das mídias sociais, que, na segunda-feira (25) estará em Bogotá, acompanhando o vice-presidente Hamilton Mourão na reunião do Grupo de Lima que discutirá a evolução do processo de transição democrática na Venezuela. Esta será uma reunião de presidentes para definir como será conduzido o apoio dos 14 países do grupo. Destes, apenas o México não apoia o governo de Guaidó.

Últimas notícias