Empresário assume autoria de vídeo pró-ditadura divulgado pelo governo

Em nota, Osmar Stábile, apoiador de Bolsonaro, informou que produziu a gravação por sua iniciativa pessoal e usou recursos próprios

ReproduçãoReprodução

atualizado 02/04/2019 21:33

O empresário paulista Osmar Stábile, declarado “apoiador ferrenho” do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), assumiu, por meio de nota enviada nesta terça-feira (2/4) ao Metrópoles, ter produzido o vídeo que exalta o golpe militar de 1964. A gravação chegou a ser publicada pela assessoria do Palácio do Planalto, em um grupo de jornalistas no WhatsApp, no último domingo (31/3), e gerou dúvidas. Isso porque ninguém quis informar a identidade do autor das imagens.

O empresário confirma que produziu a gravação por sua sua iniciativa e com recursos próprios. Ele afirma que é um “entusiasta do contragolpe preventivo”, pois, segundo ele, é “assim que boa parte dos historiadores sem ideologias pré-concebidas enxerga ‘1964’”.

Segundo a justificativa de Stábile, a produção independente do vídeo é um direito seu como cidadão. “Quite com minhas obrigações constitucionais e legais, tenho o total direito de expor minha opinião de forma livre”, defendeu.

A autoria do vídeo foi questionada ao presidente em exercício, Hamilton Mourão, que afirmou nesta segunda, mesmo dizendo não ter conhecimento do vídeo, que a decisão da divulgação partiu de Bolsonaro. No entanto, o porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, não quis se pronunciar sobre o fato e o Palácio do Planalto não confirmou as informações.

Confira a íntegra da nota:

DECLARAÇÃO OSMAR STABILE by Metropoles on Scribd

Salvação
Em defesa das Forças Armadas, Osmar Stábile afirma que “o Exército nos salvou e nos salva! Todos os dias!”. Para o empresário, os militares cumprem seu papel com excelência. “Feliz do povo que pode criticar as Forças Armadas, mas pode contar sempre com ela”, diz trecho da nota.

“O Exército está presente no combate aos focos da dengue, no front da segurança pública, construindo estradas, educando e formando jovens brasileiros, impedindo os ventos frios que massacraram povos em nome de regimes que nunca semearam a democracia, como é de conhecimento geral”, enfatizou Stábile.

Vítimas da ditadura
Na nota, o empresário salientou que não quis “mexer com os brios, dores e sentimentos daqueles que se dizem perseguidos pelas forças do Estado naquele importante período da nossa história”, fazendo referência aos que afirmam terem sido vítimas dos militares durante a ditadura.

No entanto, Osmar Stábile continuou em defesa do Exército. “Acredito plenamente nos esforços de nossas Forças Armadas que evitaram males políticos maiores para a nação. E esse lado da história precisa ser conhecido pelas novas gerações”, pontuou.

Últimas notícias