*
 

O presidente Michel Temer (MDB), como previsto, não compareceu à cerimônia de abertura dos trabalhos do Congresso Nacional deste ano. Mas, por meio do ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, o chefe do Executivo enviou mensagem ao parlamento. O documento foi lido na tarde desta segunda-feira (5/2), no plenário da Câmara.

Coube ao deputado Giacobo (PR-PR) fazer a leitura do discurso, por cerca de 12 minutos. Na mensagem, Temer enalteceu as medidas adotadas pelo governo federal durante 2017 e defendeu a reforma da Previdência.

“É nosso dever concluir a agenda de modernização que o Brasil tanto precisa. Nossas atenções estão focadas na tarefa de consertar a Previdência. O atual sistema é socialmente injusto e financeiramente insustentável, pondo em risco as aposentadorias de hoje e de amanhã”, dizia trecho do texto enviado pelo presidente da República.

Antes de mencionar a questão previdenciária, a mensagem presidencial, em tom otimista, tentou mostrar como o atual governo fez muito em pouco tempo de mandato. “A inflação caiu para menos de 3%, a taxa de juros está em seu menor patamar, a economia voltou a crescer, e avançamos na infraestrutura, criando uma economia que vai bem e cria espaço para projetos sociais”, afirmou o presidente, por meio do comunicado.

Temer tocou ainda em assuntos como o combate ao crime organizado – que, para ele, “é essencial para a melhora da segurança pública” –, afirmou ter melhorado a saúde, falou sobre meio ambiente, destacou projetos e investimentos na infraestrutura do país e elogiou a aprovação da reforma trabalhista.

“Passados 12 meses, tenho a grata satisfação de constatar: unidos, superamos a crise”, completou. Ao fim da mensagem do presidente, a oposição gritou “Fora, Temer” e palavras de ordem contra a reforma da Previdência.

 

 

COMENTE

comunicar erro à redação

Leia mais: Política